Agora na França

A NÃO
PERDER 

Festivais, exposições, concertos ou outros eventos… Em France.fr, tal como em toda a França, há sempre alguma coisa acontecendo.

O Que Fazer?

Visite
a França 

Visitar lugares culturais excecionais ou fazer caminhadas nas montanhas. Um passeio a dois pela rota dos vinhos ou um cruzeiro com as crianças… Que viagem gostaria de fazer pela a França desta vez?

As cinco praças reais de Paris

Place Dauphine

Erguidas como símbolos da grandeza da monarquia francesa, as cinco praças reais de Paris são dedicadas a um rei em celebração a seu reino e suas vitórias. Construídas em locais propícios para passeios àquela época, possuem alguns pontos em comum: todas têm a estátua do rei homenageado no centro e contam com fachadas simétricas ao seu redor.

Verdadeiras testemunhas de um passado glorioso, elas ainda oferecem perspectivas fabulosas aos seus visitantes. Com exceção da Place Dauphine, todo o conjunto arquitetônico foi preservado apesar das fortes investidas sofridas durante a Revolução Francesa.

Conheça as 5 praças reais:

1) Place des Vosges (1612) - Metrô: Saint-Paul (linha 1)

Originalmente chamada de Place Royale, é a primeira praça real de Paris e considerada por muitos como a mais bonita. Foi renomeada em 1800 em homenagem ao departamento de Vosges (a França é dividida administrativamente em 101 departamentos), o primeiro a pagar todos os seus impostos. A construção da praça foi ordenada por Henri IV e inaugurada, em 1612, para a ocasião do noivado de Louis XIII com Anne da Áustria, e a estátua original foi encomendada em 1639 por Richelieu. Composta por 36 pavilhões idênticos - apenas os pavilhões do Rei e da Rainha diferem de tamanho - o conjunto arquitetônico é magnifico, elegante e único em toda a cidade. Localizada no Marais, considero um lugar imperdível na cidade. Para saber mais, clique aqui (Link externo).

2) Place Dauphine (1614) - metrô: Pont Neuf (linha 7)

Também encomendada por Henri IV em homenagem ao Dauphin Louis XIII, foi inaugurada em 1614, na Île de la Cité, entre o Palais de Justice e a Pont Neuf. A estátua, no entanto, não está localizada na praça, mas sim, no meio da (ponte) Pont Neuf a poucos passos dali. Apesar de sofrer inúmeras destruições e modificações, a Place Dauphine preserva um encanto e atmosfera diferentes das demais: em parte, devido ao seu formato original triangular e muito também se deve ao bloqueio dos prédios do entorno, mantendo o local isolado das hordas de pessoas que visitam a Île de la Cité diariamente.

3) Place des Victoires (1686) - metrô: Bourse (linha 3)

Esse é o primeiro local público criado por iniciativa particular para celebrar um soberano. A Place des Victoires foi oferecida por um Marechal da França, o duque de La Feuillade, em homenagem às conquistas militares do rei Louis XIV. Esta foi a primeira praça dedicada ao Rei Sol e seu formato circular serviu de exemplo para outros projetos ao redor da França. Localizada a uma curta distância do Palais Royal, entre o 1er e o 2ème, está geralmente vazia - à exceção dos carros que circulam por aqui. Acredito que por não contar com paisagismo ou equipamentos de lazer para acomodar os visitantes, seja a menos conhecida desta lista.

4) Place Vendôme (1699) - Metrô: Tuileries (linha 1) | Concorde (linhas 1,8 e 12)

Localizada entre a Place de la Concorde e a Place de la Madeleine, Louis XIV encomendou sua construção com o objetivo de fazê-la vitrine das grandes instituições da monarquia - biblioteca real, Casa da Moeda, hôtel des Ambassadeurs, etc. Atualmente associada a requinte e sofisticação - endereço das joalherias mais exclusivas e do magnífico Hotel Ritz - já viveu dias poucos gloriosos no passado. Durante a Revolução Francesa foi chamada de Place des Piques, pois aqui os revolucionários exibiam as cabeças dos guilhotinados ao final de um confronto. Originalmente, a estátua no centro da praça era a de Luís XIV - destruída em 1792 - e hoje é o Imperador Napoleão quem está representado no topo da coluna central.

5) Place de la Concorde (1772) - Metrô: Concorde (linhas 1, 8 e 12)

Dedicada à Louis XV e inaugurada por completo em 1772, situa-se entre o Jardin des Tuileries e a avenida Champs-Élysées. É a maior praça da Capital francesa e foi palco de importantes acontecimentos históricos. Durante Revolução Francesa, era o local destinado às execuções dos condenados, trazidos para o meio da praça e guilhotinadas - dentre eles, o rei Luís XVI e a rainha Maria Antonieta. Marcada pela lembrança sangrenta do Terror e da execução da família real, hoje a Place de la Concorde em nada se assemelha ao seu passado. No centro, a estátua de Luís XV foi destruída e substituída pelo obelisco (datado do século 13 a.C.) oferecido pelo vice-rei do Egito, em 1832, e, ao lado, duas fontes monumentais representando o comércio e navegação marítimo e fluvial instaladas em 1840 embelezam o local.

Bisous,

Carol

Este texto foi retirado do blog 30 Jours à Paris (Link externo). Para mais informações, acesse o site.

Ir mais
longe