Sete experiências para desfrutar da lagoa de Mayotte

Navegar entre os ilhéus e bancos de areia, nadar com as tartarugas, observar as baleias-de-bossa ou voar num ULM… Não faltam ideias para descobrir o primeiro parque natural marinho criado no território ultramarino francês.
Mergulhar num estreito

Um paraíso de corais coloridos, cardumes de barracudas, raias e, ao largo, tubarões-martelo… Os mergulhadores, amadores ou profissionais, ficam encantados nesta lagoa excecional, rodeada por uma barreira dupla de coral. O estreito em forma de "S", situado na barreira este, é o local mais famoso da lagoa. Com 4 quilómetros de comprimento, proporciona mais de uma dezena de sítios para mergulhar, frequentados por garoupas, peixes-papagaio-verde-de-bossa, tartarugas e tubarões-cinzentos. Um autêntico aquário natural!

Nadar com as tartarugas verdes

Em N'Gouja, na praia mais bonita da ilha, que conta com a presença de imbondeiros grandiosos, equipamo-nos com as barbatanas, máscara e tubo para ir nadar com as tartarugas verdes durante a maré alta. Elas adoram as ervas marinhas que cobrem o fundo do mar a apenas alguns metros da costa de areia dourada. Habituadas a encontrar as pessoas, deixam-se observar e seguir facilmente. Um único conselho: não toque nelas.

Observar as baleias-de-bossa

Entre julho e fim de outubro, pode assistir ao espetáculo de saltos extraordinários das baleias-de-bossa na lagoa de Mayotte. Estes gigantes dos mares (de 11 a 18 metros de comprimento) vêm da Antártida para as águas quentes do oceano Índico para se reproduzirem. É a ocasião perfeita para embarcar num safari de observação com operadores turísticos que se aproximam de forma respeitosa destes mamíferos.

Navegar em sintonia com os golfinhos

Uma sombra a dançar à flor da água? É certamente uma manta a nadar junto à barreira, entre abril e junho. Mais adiante, as barbatanas de um grupo de golfinhos deixam os passageiros de um barco delirantes. Podem ser centenas a seguir um barco, como se fosse uma escolta amical e, às vezes, realizam elegantes bailados. Os passeios de barco nesta lagoa são incríveis, quer seja para ver a fauna marinha ou acostar nos ilhéus de Robinson. As crianças adoram!

A lagoa vista de cima

A lagoa vista do céu também constitui uma experiência inesquecível. Ilhéus cobertos pela vegetação, rodeados de tapetes de corais salientados pela luz; bancos de areia branca com formas variáveis que se destacam nas águas azul-turquesa; mangais inextricáveis que tingem de verde-escuro algumas zonas da costa e praias imaculadas adornadas por coqueiros. E, ainda, esta barreira dupla de recife impressionante... Sobrevoar a lagoa de ULM é um momento fantástico.

Deixar-se envolver pelo mangal

Entre a terra e o mar, o mangal forma um ecossistema único e misterioso, composto por várias espécies de paletúvios que servem de abrigo a diversos peixes e moluscos. Podemos passear, em terra ou com a maré baixa, por entre as raízes aéreas dos paletúvios ou, melhor ainda, navegar de canoa durante a maré alta. E porque não visitar a aldeia de Bandrélé, onde uma comunidade de mulheres produz sal de mangal segundo uma receita ancestral?

De stand-up paddle

Nada melhor do que uma prancha, remo, chapéu e óculos de sol para explorar a lagoa de Mayotte ao seu ritmo, em modo desportivo e contemplativo. Assim, podemos observar as barbatanas de um golfinho ou apreciar as falésias e enseadas, e até mesmo parar numa praia deserta acessível apenas pelo mar…

Como chegar a Mayotte