Agora na França

A NÃO
PERDER 

Festivais, exposições, concertos ou outros eventos… Em France.fr, tal como em toda a França, há sempre alguma coisa acontecendo.

O Que Fazer?

Visite
a França 

Visitar lugares culturais excecionais ou fazer caminhadas nas montanhas. Um passeio a dois pela rota dos vinhos ou um cruzeiro com as crianças… Que viagem gostaria de fazer pela a França desta vez?

Guadalupe: 4 boas razões para subir La Soufrière

O vulcão La Soufrière culmina a 1467 metros sobre o mar das Caraíbas.
Conhecido por velha senhora, "vié madanm la" em crioulo, o vulcão La Soufrière é a atração principal do Parque Nacional de Guadalupe.

Pequeno ou grande, desportista ou nem por isso, precisa de um bom par de sapatos, corta-vento, fato de banho e… alguma coragem. A caminhada neste vulcão ainda ativo, situado no sul da ilha de Basse-Terre, é um momento espetacular a não perder.

Uma vista impressionante

Ponto culminante das Pequenas Antilhas a 1467 metros de altitude, quando o céu está limpo La Soufrière oferece uma vista única a 360° sobre o vale, Grande Terre, o sul de Basse-Terre, o mar das Caraíbas e as ilhas vizinhas de Saintes, Marie-Galante e La Dominique. Ver o sol nascer neste ponto alto é um momento inesquecível, mas que exige levantar-se cedo, pois demora pelo menos duas horas a subir para os mais rápidos.

Banhos a 30 °C

A subida a La Soufrière começa de carro. A primeira etapa fica a cinco quilómetros da localidade de Saint-Claude, em Bains Jaunes, acessível através de uma bela estrada pelo meio da floresta. A 950 m de altitude encontramos, depois de um pequeno parque de estacionamento, as piscinas de água quente, proveniente do vulcão. Um autêntico spa natural! Consta que a água sulfurosa a cerca de trinta graus possui efeitos revigorantes, nomeadamente, para os músculos cansados. Um banho nestas piscinas depois de uma boa caminhada é extremamente agradável!

Descubra a flora tropical

Verde, verde... e mais verde! Árvores gigantescas, fetos enormes, lianas impressionantes, raízes entrelaçadas… No caminho, com pedra de calçada em alguns sítios, que conduz até ao planalto de Savane à Mulets, a floresta tropical revela todo o seu esplendor, graças à elevada humidade. Após meia hora de caminhada, ao chegar aos contrafortes do vulcão, o ambiente e a paisagem mudam completamente. O vento fica forte e a vegetação é rasteira. No fim da subida, as paredes rochosas ficam cobertas de líquenes e musgo, formando um magnífico tapete vermelho alaranjado, ornamentado de orquídeas selvagens e flores amarelas da montanha.

Dançar no vulcão

Não confie num vulcão adormecido. Apesar de La Soufrière não entrar em erupção há muito tempo (as últimas grandes erupções datam de 1976 e 1797), ele continua a fervilhar e a libertar calor em diversos sítios. As fumarolas e vapores de enxofre perto do cume são prova disso, relembrando o Jurassic Park. Por vezes, o silêncio é impressionante, interrompido apenas pelo coaxar das rãs que colonizaram alguns locais. Relativamente ao cheiro… é fácil de reconhecer, a ovos podres, típico do enxofre!

Como chegar às ilhas de Guadalupe