Agora na França

A NÃO
PERDER 

Festivais, exposições, concertos ou outros eventos… Em France.fr, tal como em toda a França, há sempre alguma coisa acontecendo.

O Que Fazer?

Visite
a França 

Visitar lugares culturais excecionais ou fazer caminhadas nas montanhas. Um passeio a dois pela rota dos vinhos ou um cruzeiro com as crianças… Que viagem gostaria de fazer pela a França desta vez?

Como é que não fui à praia em Guadalupe

Uma vista espetacular das cataratas de Carbet em Guadalupe

E se o melhor da viagem fossem os pequenos desvios? Em França, por vezes, é necessário pôr o programa de lado e deixar-se surpreender. Descobrimos imensas coisas nesta viagem improvisada às ilhas de Guadalupe, menos a praia.

Uma viagem improvisada com amigos até Basse-Terre, uma ilha de Guadalupe. O nosso único objetivo era fugir à chuva e à melancolia de domingo à noite.

Domingo, a chegada à ilha

Chegámos à pousada no fim da manhã. Os anfitriões convidaram-nos para almoçar. Não se diz que não e, para dizer a verdade, ficámos muito contentes por nos servirem. O que não tínhamos previsto era que durasse várias horas. Comida deliciosa, sorvetes, frutas do jardim… Só faltava ir à praia! E por que não? Onde fica a praia? Não ficámos a saber, pois: "Em Guadalupe não há só praia!" Nós seguimos o conselho e eis o nosso programa.

Segunda, o caiaque

Hoje é dia de caiaque! Nunca experimentei, mas não deve ser complicado. Os proprietários da pousada aconselharam-nos a Reserva Cousteau. Percebi imediatamente porquê. Para começar, não é numa lagoa, mas no mar. Depois, o caiaque é transparente. Ideal para apreciar o fundo do mar. Nunca tinha visto tantos peixes juntos! Até me esqueço de remar.

Terça, o Paraíso

Ontem, no caminho de volta, encontrámos o Sam e a Julie, que nos propuseram levar-nos até ao Paraíso. Dito assim… Esta manhã fomos às Cataratas de Carbet. Mais de 45 minutos a andar, mas quando chegámos... Ficámos deslumbrados! Uma lagoa natural com reflexos do arco-íris, totalmente virgem, água cristalina, uma paz total. E nós, sozinhos no mundo. É assim o Paraíso.

Quarta, a Bretanha das Antilhas

Ao acordar, começámos a sentir os efeitos das nossas proezas desportivas. Hoje vamos com mais calma...
Ainda por cima, é quarta-feira, dia de mercado. Frutas, flores, jóias, artesanato, rum... encontra-se tudo. E nós também provamos tudo! Principalmente, ponche e rum. Entretanto, um guadalupino que viveu em Lorient fala-nos dos Saintes e do seu folclore antilho-bretão. Queremos ver! Um barco faz a travessia pelo módico valor de 5 euros.

Quinta, os índios

De regresso a França amanhã. No último dia vamos visitar o parque arqueológico Roches Gravées, em Trois-Rivières. Quase um hectare de mistério geométrico que é agora um Monumento histórico. Um aspeto totalmente desconhecido da cultura antilhana em que devemos pensar, não na praia, paciência, mas no voo de regresso.

Alguns endereços

Como chegar a Guadalupe