Exposição "O Modelo Negro, de Géricault a Picasso", em Pointe-à-Pitre

Até 29 de dezembro, mais de cem obras-primas e itens de arquivo do final do século XVIII até os dias atuais estão reunidos no Memorial ACTe em Pointe-à-Pitre, Guadalupe, para uma exposição histórica que questiona o papel fundador do modelo negro na história da arte moderna.

120 pinturas, esculturas, gravuras, clichês fotográficos e documentos frequentemente assinados por grandes nomes, de Delacroix a Picasso, estão reunidos nos 700 m² de espaços temporários de exposição, graças a uma colaboração com os museus Orsay e Orangerie em Paris e uma parceria com a Galeria de Arte Ira D.Wallach em Nova York, mas também com o apoio da região de Guadalupe e museus provinciais ou internacionais, instituições públicas ou colecionadores particulares.

O modelo, sujeito assistido e representado pelo artista

Como as imagens de homens e mulheres "de cor" foram construídas, desconstruídas e reconstruídas ao longo do tempo? Longe de dar origem a uma reflexão sobre a representação dos negros como um grupo social, a exposição questiona o "modelo" tanto como sujeito encarado e representado pelo artista quanto como exemplo, portador de valores.