Viagem a Nantes

  • © Claude Bedard

  • © Claude Bedard

Viagem a Nantes Nantes fr

Por Claude Bédard


De bicicleta, de carro, de barco ou a pé: um percurso aos limites do imaginável.

 A cidade de Nantes, metrópole do oeste francês, vem demonstrando ousadia há alguns anos, e não parece querer parar. No dia 15 de junho de 2011, a cidade inaugurou um percurso urbano de quase 8,5 quilômetros (traçado com uma linha rosa no chão), nos dois lados da foz do Loire até Saint-Nazaire, convidando visitantes e cidadãos a caminhar por uns trinta percursos originais ou completamente malucos.

De forma atrevida e alegre, acima de tudo chamativa, o evento Viagem a Nantes proporciona dois meses de atrações espetaculares, instalações lúdicas e aventuras artísticas. Mais de 600 mil visitantes invadiram a capital do País do Loire, e essa espécie de jogo de caça ao tesouro em busca de arte será renovado no verão de 2013.

Foi criada, por exemplo, a maior creperia do mundo, Crêpetown, no interior de um imenso salão desativado, lugar de encontros noturnos para os jovens. Churrascos entre amigos também têm sido organizados às margens do rio.  Durante o evento,  concertos improvisados nas esquinas da cidade convidam os espectadores a entrar na música

No centro de Nantes, na passagem coberta de Pommeraye, classificada como monumento histórico, a cineasta Agnès Varda recriou a butique de Michel Piccoli em Une chambre en ville. E na praça Real, a famosa fonte, um dos lugares mais populares de Nantes, desaparecia sob um “monte real” convidando jovens à escalada e à exploração.

Além disso, para o prazer dos jovens e dos mais velhos, um rodeio à moda do “velho oeste” invadia a cada dia o pátio interior do castelo dos duques da Bretanha, local pouco comum a esse tipo de evento.  

No local, agora renovado, onde funcionavam antigos estaleiros navais, no centro da ilha de Nantes, um elefante de 50 toneladas e altura de quatro andares, símbolo dessas grandes máquinas incríveis feitas por artesãos meio malucos, desfilava diariamente, transportando cerca de 40 pessoas e molhando os visitantes com sua tromba.

Na Praia do Bouffay, ironizando um pouco o vasto canteiro de obras que existe no local, uma espécie de fachada suspensa a 10 metros parecia desafiar as leis da gravidade. Em outro ponto, em torno da vila de Couëron, uma casa de pedra de três andares parecia se banhar no rio, como se estivesse flutuando.

Por fim, o público era convidado a embarcar em um cruzeiro gastronômico, a fim de contemplar as obras do litoral da região do Loire e, assim, prolongar a descoberta até Trentemoult, onde se encontra uma tradicional vila de pescadores, com casas coloridas e uma famosa feira de produtos orgânicos.

Nantes aposta, com este evento inspirador, destacar-se na categoria de destinos imperdíveis. Longe de ofuscar o patrimônio dessa grande cidade francesa, ele a ilumina com uma aura de liberdade artística e de alegria de viver tipicamente francesas. Confira a programação para 2013 e aproveite a viagem!