Uma Viagem de Descobertas - Vinhos e Gastronomia

Uma Viagem de Descobertas - Vinhos e Gastronomia

function xt_med(p1,p2,p3,p4){return true;}function xt_med(p1,p2,p3,p4){return true;}function xt_med(p1,p2,p3,p4){return true;}function xt_med(p1,p2,p3,p4){return true;}function xt_med(p1,p2,p3,p4){return true;}function xt_med(p1,p2,p3,p4){return true;}function xt_med(p1,p2,p3,p4){return true;}function xt_med(p1,p2,p3,p4){return true;}

  

Uma viagem de descoberta do vinho

A história pode parecer, às vezes, estranha! No sudoeste da França, Aquitaine – “a região da água” como César a chamou – é também uma região que produz os vinhos mais famosos do mundo. Quem nunca sonhou em ouvir os nomes Yquem, Margaux, Pétrus ou Mouton-Rothschild ? Esses prestigiados châteaux vinícolas estão aqui. Você sabia?Na Aquitaine, ninguém pode escapar da civilização do vinho. Quer você seja dono de uma vinícola ou não, quer você seja membro de alguma associação relacionada ao vinho, um amador conhecedor ou um iniciante, não importa! Mais de 2000 anos de convivência teceram ligações estreitas entre o homem e as videiras. Videiras e vinho fazem parte do dia-a-dia aqui. Eles são nossa história, eles moldam os campos e contêm memórias preciosas. É impossível separar o vinho da terra em que suas vinhas foram plantadas: homens, cidades e povoados, fortalezas, igrejas e châteaux... Na Aquitaine, sua vida e a de seus vinhedos ainda estão estreitamente ligadas, quer falemos dos vinhos de Bordeaux ou de Bergerac, do vinho negro ou do vinho do Czar...

 

Uma viagem de descobertas gastronômicas

Inspirando incredulidade e um toque de ciúmes, o sudoeste da França é a terra do “paradoxo francês”. Na Aquitaine, onde os maiores vinhedos dos melhores vinhos do mundo podem ser encontrados, e onde comer é considerado "art de vivre", quase não se ouve falar de colesterol ou doenças ligadas ao coração.Aqui, as refeições frequentemente começam com sopas: garbure (uma sopa de fazenda, com vegetais e carne) ou tourin (sopa de alho). Ao longo da costa, a preferência é dada a uma boa sopa de pescado. No interior, as pessoas nunca se esquecem de “faire chabrot”: quando resta apenas uma pequena porção de sopa, adiciona-se um pingo de vinho e... termina-se a tigela. Ostras arcachon, tradicionalmente servidas com salsichas quentes e pão de centeio também ocupam o lugar de honra. Ao longo da costa, uma terrine de foie gras, é acompanhada por uma taça de Sauternes ou outro vinho doce da região. 

No outono, serve-se guisado de pombo em quase todas as mesas. Talvez você prefira peixe? Na primavera, lampreia "à la bordelaise", em outras palavras, servida ao molho de vinho tinto. Durante todo o ano, o salmão nada contra a correnteza, e freqüentemente é preparado ao "molho béarnaise". Nos últimos anos, os esturjões reapareceram. Pescadores furtivos, que lucravam muito com o refinado caviar, tinham-nos dizimado. Atualmente, o caviar de Gironde vem sendo servido novamente em ocasiões especiais.

A seguir vem um prato com carne: cordeiro à Pauillac, carne bovina à Bazas, ou, é claro, ganso ou pato, que podem ser preparados de diversas maneiras (em especial em magrets ou em conserva, sem esquecer do foie gras levemente frito que, na temporada, é servido com uvas chasselas maceradas em vinho Sauternes). Em ocasiões especiais, trufas e cèpes (um tipo de champigon) também são servidos e muito apreciados.

Cabécous (queijos de cabra pequenos e cremosos) e queijo dos Pireneus (leite de ovelha) são servidos em todas as mesas. O queijo de cabra é guarnecido com nozes de Périgord e o queijo dos Pireneus é servido com geléia de marmelo ou de cerejas pretas de Itxassou.

Há, naturalmente, frutas, incluindo os famosos melões de Nérac e ameixas de Ente que dão origem a saborosas ameixas secas. Mas há também alguns bolos: bolo de nozes em Périgord; gâteau basque, recheado com creme de amêndoas ou geléia de cereja, no País Basco; canelés, em Bordeaux; tourtière flambe (um bolo tradicional) com Armagnac, em Lot-et-Garonne; e pastis (massas leves), em Landes.

Geralmente é servido café acompanhado de doces: bolos de amêndoas de Saint-Emilion ou Saint-Jean-de-Luz; chocolates de Bayonne (a primeira cidade francesa em que foi introduzido o chocolate pelos judeus que, no Século 16, foram expulsos da Península Ibérica e se estabeleceram na região), tourons e muitos outros.

Vitivinitour - Destinos turísticos com colheitas de uvas 3 e 4 de outubro, 2009Dois dias inteiramente dedicados às colheitas de uvas para quem sonha em conhecer os detalhes do trabalho dos profissionais do vinho.

O período das colheitas é o melhor para se visitar as vinhas e conhecer a produção do vinho. Seguir o percurso da uva dos vinhedos aos tonéis, assistir às primeiras fermentações, provar os vinhos durante o processo de produção é a melhor forma de iniciar-se nos diferentes métodos necessários à realização de um bom vinho. Esse aprendizado será ainda mais completo com uma apresentação dos vinhos de Bordeaux e uma iniciação à degustação na Ecole du Vin, seguida por visita aos vinhedos de Sauternais, conhecidos por seus excepcionais vinhos brancos licorosos, e ao Médoc, que produz os melhores tintos do mundo.

Programa 

1° dia : Os vinhedos em SauternesRecepção em seu hotel 3* no centro de Bordeaux.Curso de iniciação à degustação e à enologia na Ecole du Vin de Bordeaux.- Apresentaçao dos vinhedos da região de Bordeaux.- As variedades de uva e suas combinações (assemblage).- Mecanismo e vocabulário da degustação.- Degustação comentada de 4 vinhos e outras questões. Partida para Sauternes para conhecer um vinho excepcional e a mais charmosa região de Bordeaux. Almoço em uma  estalagem campestre Sauternes.Visita e degustação em um châteaux viticultor de Sauterne:- O tipo de terreno, clima e o desenvolvimento do Botrytis Cinerea que dão origem aos grandes vinhos licorosos.  As colheitas por seleções sucessivas, um trabalho artesanal determinante para a qualidade dos futuros vinhos.- Os métodos de vinificação.- Degustação e os vinhos diretamente do produtor.Retorno à  Bordeaux. Jantar-degustação com vinhos Grands Crus Classés.

 

2° dia : Os vinhedos em MédocCafé da manhã e partida para Médoc via Route des Châteaux.O trabalho da colheita para um vinho Cru Bourgeois- O trabalho dos colheiteiros.- Degustação das frutas: a evolução do amadurecimento entre os diferentes tipos de uvas. - A seleção das uvas.- Degustação comentada dos vinhos.Almoço dos colheiteirosAteliê enológico de um vinho Cru Bourgeois- A fermentação- Os métodos de vinificação.- Degustaçao de vinhos em preparação. Retorno à Bordeaux por volta de 18h00 – fim do programa.

Tarifas 2009Preço por pessoa: 480€O preço inclui :- uma noite em hotel 3* em Bordeaux, em quarto duplo com café da manhã ;- refeições indicadas no programa (vinhos incluídos);- curso de iniciação na Ecole du Vin de Bordeaux;- visitas às vinícolas e ateliês com degustação;- transporte com acompanhante durante as visitas aos vinhedos.O preço não inclui :- despesas de caráter pessoal e todas as outras despesas não incluidas na programação.Suplemento para quarto individual : 50€/ noite A programaçao é valida sob reserva da disponibilidade dos diferentes fornecedores no momento da confirmaçao da estadia e com um mínimo de 8 participantes. Noites e dias suplementares sob demanda.Para mais informações: VITIVINITOUR - Lucien GABILLAUDRéceptivo Bordeaux-Aquitainewww.lesacabailles.fremail: contact@lesacabailles.fr

La Winery

A Winery Philippe Raoux, situada a 30 minutos de Bordeaux, é um espaço arquitetônico único e de vanguarda que oferece uma proposta mais acessível e personalizada do mundo do vinho. Sua loja, sem igual na França, reúne 40.000 garrafas de vinhos franceses e estrangeiros. A Winery mantém degustações comentadas por uma equipe de sommeliers e um recurso inédito: o  Signo Enológico (os participantes descobrem seu perfil enológico e recebem um livro da adega personalizado). O restaurante Wy dispõe de um cenário contemporâneo e uma cozinha refinada sob a concepção de combinar pratos e vinhos. 

Finalmente, a Winery reúne uma coleção permanente de arte moderna de grandes artistas contemporâneos como Susumu Shingu, Jan Fabre e Roy Lichtenstein.Horário de Funcionamento: 10h – 19h, durante o ano todo (exceto entre 25 de dezembro e 1° de janeiro) 10h – 20h, em julho e agosto

Para mais informações:La Winery Philippe Raouxwww.lawinery.fr

Hotel L’Aubèrge Basque

Para mais informações:L'Aubèrge Basque  www.aubergebasque.com  email: contact@aubergebasque.com

Situado na montanha basca, a 7 km de Saint-Jean-de-Luz e do famoso campo de golfe, L’Auberge Basque é um estabelecimento onde se misturam de forma maravilhosa tradição, autenticidade e modernismo. A vista para a montanha é de tirar o fôlego.Cédric Béchade (jovem chef de 30 anos), passou 10 anos ao lado de grandes chefs (dentre eles Alain Ducasse), e instalou seu hotel de design numa casa basca tradicional do Século 17, utilizando materiais existentes no local.