Um patrimônio literário: as casas dos escritores

Um patrimônio literário: as casas dos escritores france fr

Textos, homens, e locais, contados através de visitas de casas natais, e propriedades dos autores. Através de seus livros poderemos descobrir todo o charme de um país.

 

De Pétrarque à Victor Hugo, de Alexandre Dumas à Jules Verne, o talento dos poetas e romancistas ou do inventor da ciência de ficção, fundaram inconscientemente um grande patrimônio. Sua intimidade preservada ao longo das épocas,  traça um grande itinerário turístico. Seguindo os passos desses escritores, que inundaram nosso imaginário e pelos quais nos apaixonamos, encontramos intactos móveis, livros, objetos pessoais. A propriedade de Nohant, onde morou Aurore Dupin baronesa de Dudevant, conhecida por George Sand, possui vários atrativos. Ela evoca primeiramente uma criatividade apaixonante e toda uma época de intrigas românticas verdadeiras (os amantes, os amigos,  Balzac, Flaubert, Chopin ou Liszt, passaram pela casa) e o papel artístico e social de uma mulher a frente de seu tempo. 

 

Existem mais de 290 locais como esse na França. Cuidadosamente valorizado, esse patrimônio eclético guarda grandes surpresas aos seus visitantes. Originário da região de Franché Comté, mas sempre na estrada,  Victor Hugo é mais evocado em Paris (place des Vosges) ou em Villequier (Normandie) até Hauteville House (na Ilha anglo-normande de Guernesey). Quem quiser saber sobre  Jean-Jacques Rousseau tem que fazer uma parada em Chambéry (maison des Charmettes) ou na abadia de Fontaine-Chaalis (Oise). Villers-Cotterêts (Ile de France), homenageia seu filho: Alexandre Dumas. Grenoble, capital dos Alpes, é o berço de Henry Beyle, vulgoStendhal (casa natal e museu). O château de Combourg ou Saint-Malo (Bretagne) guardam a memória e Chateaubriand, etc…

 

Uma menção especial a região da Picardie, sempre a margem dos grandes fluxos turísticos, mas que em matéria de escritores é um prodígio: mais de 12 casas a serem visitadas como testemunho da cultura da região. Alguns exemplos: A casa de Jean de La Fontaine (classificada Monument Historique) ao Château-Thierry (Aisne) ou no endereço de  Jules Verne em Amiens (Somme. 

 

Com frequência algumas dessas casas tem toda uma programação ao longo do ano, como em Grignan (Drôme) onde  Mme de Sévigné inspirou um Festival de la Correspondance (cartas). Em julho de 2005 acontecerá a 10 edição. Ou que tal passear no parque de Cevennes se utilizando de uma mula como fez um certo Robert Louis Stevenson. Um caminho na França que conta a trajetória de um escritor estrangeiro.

 

Saindo das residências de nossos autores, que tal darmos uma paradinha em um café. Desta feita, poderíamos escolher o  famoso  Closerie des Lilas (em Montparnasse, em Paris) onde placas gravadas nas mesas marcam os locais preferidos de  Baudelaire, Verlaine, Appolinaire, Hemingway e Fitzgerald ! Nos terraços da praça Clémenceau, no coração de Avignon, podemos abordar uma literatura diferente, criada pelos Félibres (poetas de língua provençal) que receberam o prêmio Nobel Frédéric Mistral ! Um pouco mais ao sul, a decoração majestosa do paço Mirabeau e do velho  Café des Deux Garçons (em Aix-en-Provence) podem ressaltar as famosas conversas entre Emile Zola e o pintor Paul Cézanne.

 

Maiores Informações: 

 

- Fédération des maisons d'écrivains

http://www.litterature-lieux.com/

 

- Guide Nicaise des 300 associations des Amis d'auteur

http://www.amis-auteurs-nicaise.gallimard.fr/

 

- Terres des écrivains (association)

http://www.terresdecrivains.com/ 

 

- Maison de Jean de la Fontaine (Château-Thierry, Aisne)

www.la-fontaine-ch-thierry.net

 

- Maison Jules Verne (Amiens, Somme)

www.jules-verne.net

 

- Domaine de Nohant – George Sand

Nohant-Vic (Indre) : 02 54 31 06 04.