Todas as Estradas Levam a Marselha

  • © H.Auer

  • © OTCM

  • © Agence Rudy Ricciotti

Todas as Estradas Levam a Marselha Marseille fr

Por Mary Winston Nicklin

 

Imagine, enquanto você bebe um pastis em uma mesa de calçada de um café, observar milhares de cavalos marchar para o centro de Marselha. Sob o olhar vigilante da imagem de Notre Dame de la Garde, rebanhos de ovelhas e de gado dirigem-se ao Velho Porto. Esta migração em massa de homens e animais se originou em três locais diferentes — Marrocos, Itália e a própria Camargue francesa — fundindo-se na planície do Crau, próxima a Arles, antes de invadir a segunda maior cidade da França. Não se trata de fantasia ou ficção. Este evento, chamado de TransHumance, será um dos principais atrativos do grande evento Marselha-Provença 2013, quando o olhar do mundo todo irá se voltar para o sul da França, para a cidade que será a próxima Capital Europeia da Cultura.

Por séculos, os pastores migraram com seus rebanhos pelos pastos da Provença, de acordo com as mudanças das estações. Ecoando este fenômeno atemporal, a TransHumance é uma aventura coletiva, aberta para que o público geral participe. É a obra-prima do Théâtre du Centaure, uma trupe de teatro sediada em Marselha, que encena empolgantes produções com cavalos altamente treinados. (Os garanhões líderes, Darwin e Graal, encantam o público de toda a França como Macbeth e Lady Macbeth, no clássico de Shakespeare.)

Acontecendo entre 17 de maio e 9 de junho de 2013, a TransHumance tem um objetivo poético: a união do natural com o urbano. Pelo caminho, fotografias aéreas e vídeos irão projetar a migração em uma obra de arte de grande escala -- um mosaico humano e animal que lembra as pinturas rupestres encontradas nas cavernas pré-históricas da região. À noite, a caravana descansará em festivos acampamentos sob as estrelas, com convidados especiais (poetas, astrofísicos, biólogos). Delícias culinárias serão servidas ao redor de fogueiras.

"A TransHumance se desdobrará como uma cartografia  enraizada na malha Euro-Mediterrânea. Do Marrocos, o grupo 4 T'bourida viajará sobre 60 cavalos, representando Fantasia (a performance equestre tradicional do Magreb).  Um grande grupo de cavaleiros da Itália irá liderar um rebanho de vacas Maremma, seguindo uma longa rota de migração até a Provença. A pé ou a cavalo, os participantes virão de toda Europa", explicam Camille e Manolo, diretores do Théâtre du Centaure.

Assim, o TransHumance representa a verdadeira natureza heterogênea de Marselha, a cidade mais velha da França e seu mais importante porto mediterrâneo. De fato, o MP-2013 está centrado em Marselha como forma de proporcionar um intercâmbio estratégico entre as costas mediterrâneas, alimentando o diálogo entre a Europa e o Norte da África.

O calendário de 2013 é decididamente ambicioso. Mesmo apenas uma das 400 atrações seria digna de uma viagem. Veja, por exemplo, Le Grand Atelier du Midi, uma exibição arrebatadora que acontecerá tanto em Marselha (Musée des Beaux-Arts), como em Aix-en-Provence (Musée Granet), numa colaboração inédita. Mais de 200 pinturas famosas de artistas como Van Gogh, Cézanne, Matisse e Picasso irão ilustrar como as paisagens do Midi inspiraram a criação artística de ponta.

Uma exibição do grande arquiteto Le Corbusier, cuja icônica Cité Radieuse, em Marselha, oferece uma resposta modernista à crise urbana da habitação, acontecerá no J1, um hangar de barcos no Velho Porto de Marselha convertido em um ponto de destaquel para o MP-2013. Aix-en-Provence festejará o centésimo aniversário de Albert Camus, uma figura simbólica apropriada para este ano centrado no Mediterrâneo, já que ele viveu em ambas as costas do mar. Eo MP-2013 inaugurará uma trilha de escalada urbana inovadora, chamada GR2013 em referência às famosas rotas Grande Rendonée (GR, ou Grande Caminhada) da França. Cobrindo 360 quilômetros, ela passará tanto por áreas naturais, quanto por zonas urbanas.

Haverá performances de circo, concertos musicais, oficinas de culinária, arte de rua e filmes no renovado Teatro Eden de La Ciotat, onde os famosos irmãos Lumière rodaram alguns de seus filmes. Em conjunto com o programa original, a Provença também sediará eventos já estabelecidos como Les Rencontres d'Arles, que tem papel decisivo na fotografia do mundo todo, e o Festival d'Aix-en-Provence, onde o teatro Grand Saint-Jean irá exibir a ópera Elena, de Francesco Cavalli, pela primeira vez desde que foi criada em Veneza, no século 17.

O MP-2013 coincide com a transformação urbana faraônica de Marselha. O celebrado arquiteto Norman Foster foi recrutado para tornar o Velho Porto mais acessível aos pedestres, enquanto o Euro-Méditerranée — o maior programa de renovação urbana que a Europa já testemunhou — reformará a velha área portuária Joliette com um calçadão esplendoroso ancorado pelo novo arranha-céu concebido por Zaha Hadid. Chame-o de efeito Bilbao (a cidade espanhola experimentou uma renascença com a abertura do museu Guggenheim). Mas Marselha está revelando não só uma referência arquitetônica, mas múltiplas atrações culturais desenhadas por arquitetos mundialmente reconhecidos: o Museu das Civilizações Europeia e Mediterrânea (MuCEM), de Rudy Ricciotti; o FRAC, museu de arte contemporânea, de Kengo Kuma; e o Tour-Panorama, no Friche la Belle de Mai, de Matthieu Poitevin e Pascal Reynaud.

"Tudo ainda é possível em Marselha", diz Alexandra Blanc Véa, uma especialista em arte e guia turística no ArtVisitProvence. "Há uma liberdade de experimentação criativa nunca antes vista em outras cidades globais. Fora de Paris, Marselha tem a maior comunidade de artistas da França. E para ver o que está acontecendo agora com a cena artística contemporânea, o Friche é um destino imperdível."

Ocupando uma antiga fábrica de tabaco, o Friche é um centro cultural descolado que abriga estúdios de arte, um espaço de escritórios para associações, salões de shows e até mesmo uma pista de skate. A novidade — adequadamente nomeada Panorama, por conta de sua vista panorâmica — foi desenhada como um cubo branco posicionado no teto do edifício. (Para o MP-2013, ela irá abrigar os trabalhos de 40 artistas internacionalmente reconhecidos do Mediterrâneo.) Durante sua construção, o artista local Pascal Martinez foi chamado para fotografar o processo, capturando-o por meio de lentes artísticas. "Eu tive a mais absoluta liberdade para fotografar o que quisesse. Eu não escolhi visualizar as transformações espetaculares no edifício, mas os detalhes pequenos dentro da estrutura, como os processos que ocorrem no corpo humano", diz Martinez, que se mudou de Paris para Marselha em 2000 e obteve muito reconhecimento por seu trabalho.

"É adequado, simbólico que um artista, e não um fotógrafo profissional, seja chamado para seguir os trabalhos de construção do Friche. Pascal foi três vezes por semana ao local e tirou milhares de fotos", diz Lydie Marchi, cuja Saffir Galerie Nomade promove os artistas emergentes da cidade.

Nascida em Marselha, Marchi fala do dinamismo da cidade: "Nos últimos dois anos, Marselha mudou muito. Novas galerias abriram, artistas vêm para cá por causa dos aluguéis baratos. Dê uma olhada em como ficou badalado o bairro do Vieux Panier. E com a chegada do InterContinental, o primeiro verdadeiro hotel cinco estrelas da cidade, uma população totalmente diferente será atraída para o local.

"Marselha é uma cidade com futuro", afirma Maxime Tissot, diretor geral do Escritório de Turismo de Marselha. "O MP-2013 é uma vitrine para mostrar a incrível riqueza cultural da região, e um fértil terreno para o crescimento continuado."