Os Greeters ou saudação daqueles que lá residem

Os Greeters ou saudação daqueles que lá residem

  

 

Descubra um novo tipo de guia: uma abordagem mais pessoal e personalizada com um voluntario disposto a dividir os segredos que somente os habitantes de cada cidade conhecem...

O termo pode parecer bobo ou até mesmo bárbaro « Greeters? Greaters? » No entanto, em inglês, a palavra significa « anfitrião » ou « comitê de recepção ». Mas por favor, não as confundam com as pessoas esperando no desembarque do aeroporto com plaquinhas...<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

Um greeter é uma pessoa que concorda em fazer a visita de sua cidade natal para um ou muitos estrangeiros de passagem. Qualquer um, ou quase, pode então ser um greeter. Além de falar uma língua estrangeira, os greeters devem compartilhar os seus conhecimentos em torno de um tema, suas dicas e bons plans, sua experiência...

Esse fenômeno surgiu em Nova York no início dos anos 90 com a associação Big Apple Greeter, que teve como objetivo desmistificar esta grande cidade com muitos rostos, mas aonde a insegurança reinava. Esta abordagem se encaixa perfeitamente no âmbito do turismo participativo, que está se tornando cada vez mais importante nos últimos anos.Há atualmente aproximadamente quinze associações de greeters que estão federados em uma rede global: o Global Greeter Network, presente em 3 continentes e 7 países. Na França, você os encontrará em Paris, Marseille, Lyon, Nantes, e o Pas-de-Calais. Em nível local, costumam ser os Ofícios de Turismo que servem como uma plataforma e indicam os greeters aos turistas, de acordo com os desejos de cada.

<?xml:namespace prefix = v ns = "urn:schemas-microsoft-com:vml" />

Com esta nova forma de turismo os visitantes encontram várias vantagens:

ü  Custo Zero, já o greeter é um voluntário feliz em compartilhar seus conhecimentos e especificidades sobre sua cidade;

ü  Recepção simples, amigável, convival e calorosa;

ü  Os turistas podem fazer um pedido especial: programa flexível atendendo aos gostos de cada um;

ü  O lado atípico, original e excêntrico. O turista foge dos percursos rotineiros e voltados às excursões turísticas, ele vai ao encontro da população, vê e compartilha a vida cotidiana dos habitantes locais. Sua visão deixa de ser à de um visitante que contempla uma cidade atrás de um vidro.

Assim como o Trip-Advisor, que permite aos internautas a troca de informações, a Global Greeter Network interconecta estrangeiros e nativos para a realização de um turismo diferente. Mas cuidado, os greeters não são guias: geralmente não conhecem todas as cidades e se concentram em oferecer atividades e passeios no que diz respeito a seus temas de predileção. Eles não pretendem substituir os profissionais do turismo, mas sim oferecer uma abordagem mais pessoal e personalizada em relação ao turismo tradicional.