Normandia: um patrimônio histórico e cultural excepcional

Normandia: um patrimônio histórico e cultural excepcional rouen fr

O movimento impressionista nasceu na Normandia, durante a segunda metade do século XIX. Claude Monet, Pierre Auguste Renoir, Alfred Sisley descobriram a luz das margens do Sena (La Seine) em Rouen, e muito rápido, Rouen virou uma fonte luminosa de inspiração para os mestres dessa nova forma de expressão.

 

Desejando sair dos ateliers e trabalhar ao ar livre, é na Normândia, em Rouen e nas margens do rio Sena, que eles acharam a mobilidade passageira das coisas e a fizeram vibrar em suas telas.

O impressionismo nasceu inicialmente desse encontro entre artistas apaixonados pela liberdade com uma luz enigmática, em constante mudança.

No ano de 1909, François Depeaux legou em torno de sessenta grandes obras do impressionismo ao Museu das Belas Artes de Rouen. Doação que fará da cidade uma das grandes referências mundiais neste movimento pictórico.

A catedral o revela, sobre a famosa série de Claude Monet: as rendas de pedra dialogam com o sol, os vitrais coloridos impregnam-se de luz...

 

Nas portas da Normandia, à 75 km de Paris, a pequena cidade de Giverny ficou célebre graças à Claude Monet pois foi lá que ele morou por 43 anos, mas a região  também é um lugar rico devido aos seus castelos e áreas arqueológicas, além de possuir belos jardins e museus de renome.

 

A casa e os jardins de Claude Monet: Apaixonado tanto pela pintura quanto pela jardinagem, Monet concebeu sua casa como uma verdadeira obra prima. Os visitantes que conhecem sua casa e seu jardim sentem a atmosfera que reinava na casa do Mestre e todos ficam maravilhados diante do
lago e dos nenúfares que foram a sua mais fecunda fonte de inspiração. Monet sempre foi fascinado pelo jogo de luzes e os reflexos das nuvens sobre a água. Em 1857 ele começa a pintar os nenúfares procurando restituir a superfície do céu na qual flutuam manchas de cores, levando assim sua pintura aos limites da arte abstrata.

 

O museu dos Impressionistas explica as origens e a diversidade do movimento e suas consequências na historia da arte do século XX.

 

Impressionismo em Giverny


Em 1911, Pierre Bonnard aluga La Roulotte, uma casa em Vernonnet, a 5 km de Giverny. Ele a comprou no ano seguinte e hospedou-se lá
regularmente, até 1938. Ao longo destes anos, o artista pintou mais de cem paisagens inspiradas em Vernonnet e seus arredores. O Museu dos Impressionistas - Giverny homenageia o artista e apresenta sessenta obras, pinturas e desenhos. A exposição também  presentará uma sessão de fotografias do artista da Normandia. Finalmente, uma importante seção de documentos (correspondências e arquivos) irá completar este projeto.

 

La Collection Clark à Giverny, de Manet à Renoir

 

Exposição com mais de 70 obras de Claude Monet, Camille Pissaro, Alfred Sisley, Berthe Morisot, Edouard Manet se juntaram a 20 pinturas de Auguste Renoir.


Le Havre é a única cidade do mundo cuja arquitetura moderna é classificada no patrimônio mundial da Unesco, uma arquitetura límpida e aérea dotada de uma luz que atraiu e inspirou Claude Monet com sua famosa tela: “Impression Soleil Levant”, quadro este que batizou o movimento Impressionista.

 

O museu MuMa abriga coleções de pinturas europeias dos séculos XV ao XX. Escolas flamengas e holandesas, neoclassicismo, romantismo, realismo (Millet, Courbet), Delacroix e, sobretudo, o Impressionismo e o Fauvismo (a primeira coleção impressionista da França depois Paris) com Boudin, Monet, Renoir, Pissarro, Degas, Marquet, Matisse, Dufy, etc.

 

Ao contrário da cidade do Havre, a cidade de Honfleur foi inteiramente preservada dos desastres da 2a guerra e todos os lugares que foram pintados pelos Impressionistas ficaram intactos. Um passeio permitirá ao visitante identificá-los facilmente. Toda a cidade foi imortalizada pelos maiores artistas. Cada ruela, cada casinha fazem parte de uma obra prima. Com mais de 1000 anos, Honfleur exerce sempre a mesma fascinação, sobretudo nos artistas que ainda hoje vem pintar as paisagens de seu conhecido passado histórico e marítimo. Hoje podemos descobrir a pintura em Honfleur no museu Eugène Boudin, mas também nas exposições temporárias organizadas
pelas suas inumeráveis galerias de arte.

 

Mais informações

Comitê Regional do Turismo da Normandia

 

Related videos

 
 

Sponsored videos

 
 
 
 

A ver