Ministra do turismo francês apresenta o balanço de 2012 e as principais tendências para 2013

Ministra do turismo francês apresenta o balanço de 2012 e as principais tendências para 2013

São Paulo, 16 de julho de 2013- A ministra do turismo da França, Silvia Pinel, anunciou na semana passada os números do setor em 2012 e as perspectivas para este ano. Em 2012 a França manteve seu posto de primeiro destino internacional, com um recorde de 83 milhões de turistas estrangeiros e um crescimento de 23% de chineses e 21% de brasileiros. O número de pernoites aumentou 2,4% e os gastos de turistas cresceu 6,3%, alcançando 35,8 bilhões de euros.

 

Apesar da crise internacional e do aumento da oferta turística, o número de viagens dos franceses se manteve estável. No ano passado 75% da população francesa viajou, escolhendo destinos domésticos.  As despesas ligadas às viagens de férias chegaram a 43,3 bilhões de euros ( um aumento de 1,3% comparado ao ano anterior) e uma redução para 27,3 bilhões de euros no  exterior.

 

O saldo do setor cresceu de 7,5 bilhões de euros em 2011 para 13 bilhões de euros em 2012. A diferença se deu em função do aumento de gastos dos turistas estrangeiros na França e do decréscimo de gastos dos turistas franceses no exterior.

 

O número de pernoites na França se manteve estável, graças a clientela internacional. Se os franceses viajaram praticamente o mesmo número de vezes que em 2011, ficaram , no entanto, menos tempo nos destinos. Já os turistas não europeus asseguraram um crescimento de 9,7% nos pernoites. As regiões Paris  Île de France e Provence atingiram novos recordes com  68,3 milhões  e  21,7 milhões de room nights respectivamente.

 

O ano de 2013 foi excelente para as estações de ski francesas, que se mantêm na liderança à frente das norte-americanas. O inverno 2012/2013 apresentou um crescimento de 7%, explicado pelo excelente nível da neve e uma nova política comercial e tarifária proposta pelos profissionais do setor.

 

Entre janeiro e abril deste ano verificou-se um crescimento de 38,6% de chineses na França, e um aumento de turistas do Oriente Médio e Américas com oscilação entre 7% e 13%. O número de turistas da Espanha, Itália e Países Baixos caiu enquanto os de origem alemã e belga se mantem estável.  

 

A tendência deve se confirmar neste verão, principalmente para os turistas  brasileiros, chineses e indianos.