As inúmeras exposições em Paris

As inúmeras exposições em Paris Paris fr

« Claude Monet (1840-1926) », até 24 de janeiro de 2011 na Galeries nationales du Grand Palais

         A primeira monografia, consagrada na França à Claude Monet, a partir da grande retrospectiva de 1980. Com uma rara riqueza, esta exposição traça o percurso artístico de um dos criadores do impressionismo. 

         Com 200 pinturas, a Galeries Nationales du Grand Palais retraça o percurso do mestre das pinturas impressionistas até a chegada na arte moderna.

         Destaque para o evento: Organizando a mais importante retrospectiva sobre Monet nestes últimos trinta anos, a Galeries Nationales du Grand Palais irá receber uma verdadeira multidão nestes grandes dias. Com cerca de 200 pinturas, das quais, algumas inéditas, o museu lhe oferece uma grande viagem na carreira deste mestre da pintura em diversos eixos temáticos e cronológicos.

         Desde o seu início em 1860 até o ciclo das Nymphéas do Musée de l'Orangerie, você poderá encontrar ao longo das obras apresentadas, as primeiras marinhas da Normandie e as paisagens coloridas à margem do rio Seine, seguido pelos famosos "Déjeuner sur l’herbe" e "Femmes au jardin", pela primeiras vez apresentados com cenas do interior ou em pleno ar livre, do mesmo período que foram emprestados para as coleções estrangeiras.

Nouveau Paris

 

         Também poderão ser admiradas as pinturas de natureza morta e retratos do final de 1890 e, é claro, toda a produção realizada em seu lendário jardim, em Giverny, onde seu trabalho sobre as mudanças de iluminação ao longo das estações marca a transição de sua pintura.

         Esta retrospectiva é também uma oportunidade para descobrir obras inéditas do pintor e parcerias inesperadas com outros artistas.

  

« Murakami Versailles », até 12 de Dezembro de 2010 no Château de Versailles

Depois de Jeff Koons e Xavier Veilhan, é a vez de Takashi Murakami trazer a arte contemporânea nas salas do château de Versailles.

Neste outono, o château de Versailles criou uma novidade dentro do evento, acolhendo em suas instalações o mestre do neo-pop japonês, Takashi Murakami. Suas esculturas monumentais e suas pinturas em cores brilhantes serão exibidas de 14 de setembro a 12 de dezembro de 2010 em quinze salas, dentre as quais, os apartamentos do rei e da rainha e a Galerie des glaces.

Será a primeira retrospectiva francesa deste artista japonês de destaque internacional, com formação em técnicas de pintura tradicional do nihon-ga, mas cujo estilo foi fortemente influenciado pelo universo dos mangás e otakus. É bastante conhecido pelos seus personagens recorrentes (Mr. Dob, Kaikai e Kiki, Super Nova), tratados na forma de balões infláveis gigantes ou estruturas em fibra de vidro, mas também por suas famosas séries de papéis pintados Jellyfish Eyes e seus padrões de flores e cogumelos sorridentes.

Um artista também reverenciado que desacreditou, reivindicando a herança da Factory d'Andy Warhol, e que não hesitou em recusar suas obras sob a forma de merchandising assumida (camisetas, brinquedos, adesivos, mouse pads, etc).

Esta exposição deve atrair tanto os detratores como admiradores, como foi o caso dos anos anteriores com Jeff Koons em 2008, que havia pendurado sua lagosta gigante, em alumínio policromado, no teto do salão de Mars ou com Xavier Veilhan no ano passado, e sua gigantesca carruagem roxa no meio do salão de homenagem. 

 

« Basquiat », até 30 de janeiro de 2011 no Museu de Arte moderna da Cidade de Paris

A primeira grande retrospectiva parisiense dedicada ao artista americano Jean-Michel Basquiat. Passando dos grafites no metrô de Nova York para uma brilhante carreira como pintor ao lado de Andy Warhol; sua obra enraizada na história em quadrinhos, na publicidade, no jazz e no rap. Esta grande exposição, a primeira desta magnitude a ser exibida na França, organizada na ocasião do 50º aniversário do nascimento do artista.

Com uma centena de grandes obras, o Museu de Arte Moderna retraça o percurso deste artista excepcional, passando do grafite à pintura.

Se ele não tivesse se envolvido em uma overdose aos seus 27 anos, em 1988, Jean-Michel Basquiat teria cinquenta anos este ano. Para comemorar este aniversário, o Musée d’Art moderne de la Ville de Paris apresenta a primeira retrospectiva neste âmbito, na França, sobre a carreira brilhante deste Haitiano e Porto-Riquenho, com um olhar de eterno adolescente.

Iniciado nas ruas de Nova York e finalizando com as maiores coleções de pintura, sua carreira artística deixou uma profunda contribuição para a arte contemporânea. Antes de se tornar o mestre do movimento neo-expressionista, amigo e colaborador de Andy Warhol, Basquiat começou a se expressar através do grafite de rua, símbolos da contra-cultura urbana no final dos anos 70.

Seu estilo violento e bastante original, em ressonância com uma vida extravagante e explosiva, alimentou múltiplas influências de diversas temáticas (mitologias da cultura africana e bíblica, história em quadrinhos, publicidade, música, raízes africanas...) para chegar ao seu último período na forma de uma nova pintura figurativa. Uma evolução reconstituída em ordem cronológica por esta exposição excepcional, por meio de uma centena de grandes obras vindas de museus e de coleções particulares americanas.

 

Confira toda a programação dos eventos e das exposições de inverno em Paris e na Ile-de-France « Exhibitions in Paris ».

NouveauParis
NouveauParisNouveauParisNouveauParis
NouveauParisNouveauParisNouveauParisNouveauParis

A ver

Calendário

Ponto de interesse