História e novidades do Mont Saint-Michel

  • Mont Saint-Michel

    Mont Saint-Michel

  • Mont Saint-Michel

    Mont Saint-Michel

  • Rua de Mont Saint-Michel

    Rua de Mont Saint-Michel

  • Mont Saint-Michel

    Mont Saint-Michel

  • Mont Saint-Michel de noite

    Mont Saint-Michel de noite

  • Abadia do Monte Saint-Michel

    Abadia do Monte Saint-Michel

História e novidades do Mont Saint-Michel le Mont-saint-Michel fr

A história relata que o bispo Aubert (Santo-Aubert) da cidade de Avranches, fundou um santuário em 708 no Mont-Tombe (antigo nome do monte Saint-Michel), após três aparições do arcanjo São Miguel (Saint-Michel em francês). Consagrada em 709, a igreja, desde então, nunca deixou de atrair visitantes e peregrinos do mundo inteiro. A arquitetura do Monte Saint-Michel e sua baía fazem dele o lugar turístico mais freqüentado da Normandia e o segundo mais freqüentado da França, depois de Paris.

A abadia tem a particularidade de ter sido erguida sobre uma ilha rochosa. Vocês irão descobrir verdadeiras jóias da arquitetura: Igreja pré-romana, dos séculos XI e XV, onventos romanos e góticos. Transformada em prisão durante a Revolução do Segundo Império, a Abadia é hoje uma comunidade monástica com uma presença espiritual permanente. atizada « Maravilha do Ocidente », o Monte Saint-Michel é cercado de uma magnífica baia, teatro de uma das maiores marés da Europa. Um espetáculo grandioso. Patrimônio mundial da Unesco, sua Abadia fora do comum é uma maravilha realizada pelo homem, e sua baía é uma maravilha realizada pela natureza.

Percurso noturno com música e luz (1h30): todas as noites exceto aos domingos.

 Travessias da Baía do Monte Saint-Michel, a pé.

Como peregrinos do passado ou simplesmente amantes da natureza, as razões para atravessar e descobrir a Baía são variadas. Na maré baixa, a Baía do Monte Saint-Michel revela todos os seus segredos.

A Fauna, a flora, as luzes, os reflexos ... adaptados a este ambiente em constante movimento, expressam toda sua diversidade com o passar dos dias e das estações. A Baía pode ser perigosa por causa da área movediça. Ela é conduzida por guias experientes, com os pés descalços nas areias, iniciando a descoberta deste local único e de paisagens de beleza única.
Os guias oferecem durante o ano todo, diversas fórmulas para descobrir a baía.

Para atravessar a Baía, é bastante aconselhável partir em companhia de um guia, que possua um certificado emitido pela comissão de avaliação de riscos em travessia. Encontre a lista atualizada dos guias que dispõem deste certificado clicando aqui www.mancherandonnee.com, rúbrica «profissionais de trilha».

A recuperação do caráter marítimo do Monte Saint-Michel.

O objetivo da restauração do local é preservar a biodiversidade, proteger o ecossistema, reduzir as emissões de CO2 em todo o perímetro para restaurar fortemente a paisagem que serve de definição para um dos locais de destaque da humanidade e renovar o caminho das peregrinações.

Dentro de um curto prazo, o Monte corre o risco de se fixar em terra firme. Em torno do rochedo, a sedimentação aumenta ao longo dos séculos e com as intervenções humanas recuperação, construção da ponte, construção de barragens) o cenário natural vai se modificando. As margens naturais são  modificadas pela presença de um estacionamento.

Europa, Estado e Coletividades territoriais decidiram reunir esforços para encontrar uma solução para que este tesouro da humanidade seja um monumento admirado pelas gerações futuras.

Desde 1995, data do acordo do Estado e do ‘Syndicat Mixte Baie du Mont-Saint-Michel’, após o lançamento das primeiras obras em 2005, inúmeras obras vem acontecendo. A União Européia, que contribui para o seu financiamento, destaca sua dimensão de verdadeiro projeto de desenvolvimento sustentável ao serviço de um território.

Trata-se do início da restauração em torno  do Monte Saint-Michel, uma paisagem marítima regularmente banhada pelas marés utilizando a força das águas e do rio Couesnon. Esta reconquista nas margens também faz desaparecer, não só 15 hectares do parque, como também a ponte que liga a ilha rochosa ao continente, bloqueando  as correntes marítimas há mais de 130 anos.

Uma total renovação no monumento para as 3 milhões de pessoas que o visitam cada ano para um custo de 230 Milhões de euros. Do continente até o Monte um novo percurso será realizado: chegada a um parque com serviços de recepção e informação distante de 2,5 km do Monte, e vias pedestres ou linhas de transporte público. Será possível então, recuperar o espírito de travessia para o Monte, aproveitando o tempo para apreciar a paisagem da baía, com paradas na barragem e na ponte-passarela, e com uma vista panorâmica sobre o rochedo de Tombelaine (uma ilha de granito localizado na baía do Monte Saint-Michel) e a baía.

A recuperação do caráter marítimo do Mont Saint-Michel, conduzido pelo Estado e pelo Syndicat Mixte Baie du Mont-Saint-Michel vive hoje sua fase operacional, a meio caminho de sua plena realização. Vários passos importantes serão tomados:

2009: A construção da barragem no Couesnon, oficialmente lançada pelo Primeiro ministro em junho de 2006..

2010: Este ano marcou o início de obras de acolhimento (parque de estacionamento paisagístico, edifícios de acolhimento e de serviços) e de acesso ao Monte
(ponte-passarela e calçada) permitindo renovar totalmente o acesso à encosta.

2012: O novo parque de estacionamento sobre o continente, e ônibus de transporte público serão colocados à disposição, para conduzir os visitantes ao Monte.

2013: Graças aos trabalhos começados em 2005, de limpeza dos sedimentos acumulados e retirar o excesso de areia, pela primeira vez desde 1879, o Mont Saint-Michel retornou a ser uma ilha. O fato se ocorreu no dia 25/07/13, onde diversos espectadores vieram para assistir e se adimirarem com esse fato histórico graças à uma grande variação de maré, durante o pôr do sol. 

2014: Finalização da ponte-passarela

2015: Destruição da ponte antiga.

O Monte Saint-Michel estará sempre aberto para os visitantes! 

 

Related videos

 
 

Sponsored videos