Gastronomia da Aquitânia

  • © Tourisme Aquitaine

Gastronomia da Aquitânia
Inspirando incredulidade e um toque de ciúmes, o Sudoeste da França é a terra do “Paradoxo Francês”. Em Aquitaine, onde os maiores vinhedos dos melhores vinhos do mundo podem ser encontrados, e onde comer é considerado “art de vivre”, quase não se ouve falar de colesterol ou doenças ligadas ao coração.

Aqui, as refeições freqüentemente começam com sopas: garbure (uma sopa de fazenda, com vegetais de jardim e carne) ou tourin (sopa de alho). Ao longo da costa, a preferência é dada a uma boa sopa de pescado. No interior, as pessoas nunca se esquecem de “faire chabrot”: quando resta apenas uma pequena porção de sopa, adiciona-se um pingo de vinho e... termina-se a tigela.

Ostras arcachon, tradicionalmente servidas com salsichas quentes e pão de centeio também ocupam o lugar de honra. Ao longo da costa, terrine de foie gras, que é acompanhado por uma taça de Sauternes ou outro vinho doce da região.

No outono, serve-se guisado de pombo em quase todas as mesas. Talvez você prefira peixe? Na primavera, lampreia “à bordelaise”, em outras palavras servida ao molho de vinho tinto. Durante todo o ano, o salmão nada contra a correnteza, e freqüentemente é preparado ao “molho Béarnaise”. Nos últimos anos, os esturjões reapareceram. Pescadores furtivos, que lucravam muito com o refinado caviar, tinham-nos dizimado. Atualmente, o caviar de Gironde vem sendo servido novamente em ocasiões especiais.

A seguir vem um prato com carne: cordeiro à Pauillac, carne bovina à Bazas, ou, é claro, ganso ou pato, que podem ser preparados de diversas maneiras (em especial em magrets ou em conserva, sem esquecer do foie gras levemente frito que, na temporada, é servido com uvas chasselas maceradas em vinho Sauternes). Em ocasiões especiais, trufas e cepes também são servidos e muito apreciados. Cabécous (queijos de cabra pequenos e cremosos) e queijo dos Pireneus (feitos com leite de ovelha) são servidos em todas as mesas. O queijo de cabra é guarnecido com nozes de Périgord e o queijo dos Pireneus é servido com uma geléia de marmelo ou de cerejas pretas de Itxassou. Há, naturalmente, frutas, incluindo os famosos melões de Nérac e ameixas de Ente – que já foram dessecadas – que dão origem a saborosas ameixas secas. Mas há também alguns bolos: bolo de nozes em Périgord, “gâteau basque” recheado com creme de amêndoas ou geléia de cereja no País Basco, “canelés” em Bordeaux, “tourtière flambe” (um bolo tradicional) com Armagnac em Lot-et-Garonne e “pastis” (massas leves) em Landes.

Geralmente é servido café acompanhado de pequenos doces: pequenos bolos de amêndoas de Saint-Emilion ou Saint Jean-de-Luz, chocolates de Bayonne (a primeira cidade francesa em que foi introduzido o chocolate, no século XVI pelos judeus que foram expulsos da Península Ibérica e se estabeleceram na região), tourons e muitos outros.

Não se poderia fazer o roteiro da “Aquitaine dos gastrônomos” sem falar de boas mesas. Isso porque eles possuem os mais célebres Chefs, com estrelas em todos os guias de renome. Ao redor de Bordeaux, os grandes Chefs são vários: Claude Darroze em Langon, Nicolas Magie em Bouliac, Pascal Nibaudeau, François Adamski em Bordeaux... Philippe EtChebest em Saint Emilion… No que se refere às mesas gastronômicas, restaurantes refinados ou simplesmente brasseries e pequenos bistrôs “à francesa”, são melhor acolhidas com reservas.

Em Bordeaux, Nicolas Frion está na direção do “Chapon fin”, o mais antigo restaurante da cidade. Mas o Le Pavillon des boulevards vale, também, um desvio no
roteiro! Mas você encontrará igualmente brasseries que oferecem uma gastronomia local a preços atrativos. A sua escolha!

Para saber mais : Veja a lista de Chefs Estrelados

Para saber mais: Prazeres para o paladar (em espanhol)