Descubra a rica herança judaica do Leste da França com este guia dos locais históricos em Alsace, Champagne-Ardenne e Lorraine

Descubra a rica herança judaica do Leste da França com este guia dos locais históricos em Alsace, Champagne-Ardenne e Lorraine

 

Alsace

 

Esta região de contos de fada no leste da França com as suas colinas, campos, florestas, vinhedos e cidades com construções em madeira, tem uma longa e rica história judaica. Não há outro lugar na França onde visitantes poderão encontrar tantas sinagogas do século 18 e 19, como aqui. Também não existe nenhum outro lugar na França que tenha uma comunidade judaica com uma história tão rural.

Entre 1791, logo após a emancipação, e às vésperas da Primeira Guerra Mundial em 1914, mais de 176 sinagogas foram construídas na Alsace - pode-se dizer que em cada cidade e vilarejo existia uma. Embora muitas destas sinagogas construídas sobrevivam até hoje, a maioria está fechada ou já não são utilizadas como centros religiosos.

Embora o século 19 seja bem representado, é bastante difícil encontrar as primeiras evidências da vida comunitária judaica. Quase nada restou da arquitetura judaica medieval, devido a proibição da construção de sinagogas, entre os séculos 14 e 18.

 

Em seus hábitos e costumes, os judeus da Alsace são semelhantes aos judeus da Europa Central e Oriental. Mas há uma série de características locais que você não encontrará em nenhum outro lugar. Algumas sinagogas Alsacianas ainda usam a liturgia conhecida como Minhag Elzos (tradição da Alsácia), e você também pode ser capaz de ouvir o judaico-alsaciano falado. É um dialeto Alemão, e é muito parecido com o iídiche.

 

Contate o escritório de turismo de Bas-Rhin (www.tourisme67.com)for mais informações sobre os passeios em locais do patrimônio judaico: http://judaisme.sdv.fr.
9, rue du Dôme, BP 53, 67061 Strasbourg Cedex, tel. 03.88.15.45.88, or

 

Strasbourg
Escritório de Turismo - 17, place de la Cathédrale, 67082 Strasbourg Cedex, tel. 03.88.52.28.28.
www.ot-strasbourg.fr

A comunidade judaica de Strasbourg, que retornou da ocupação na Segunda Guerra Mundial, mantém sua predominante característica alsaciana. Muitos dos 17.000 judeus da cidade podem ser encontrados na área ao redor da principal sinagoga, um bairro charmoso e elegante, perto do Parc des Contades.

 

Sinagogas
A Synagogue de la Paix, localizada na rue du Grand-Rabbin-René-Hirschler, tel. 03.88.14.46.50,
foi construída em 1958 para substituir a sinagoga que foi destruída pelo Nazismo. O impressionante interior possui um santuário circular fixado abaixo de uma Estrela de David. Rituais de Ashkenazi são feitos na Synagogue de la Paix, enquanto que a tradição Sefardita é realizada na sinagoga Rambam, no mesmo endereço.

 

Museus
Musée de l’Oeuvre Notre-Dame, www.musees-strasbourg.org é adjacente a Catedral. As exposições apresentam o desenvolvimento das artes em Strasbourg e o Reinado dos séculos 11 a 17. No pátio estão as lápides judaicas dos séculos 12 a 14.- 3, Place du Château, tel. 03.88.52.50.00,

Musée Alsacien, www.musees-strasbourg.org,que atravessa a Ille river, promove uma exposição permanente sobre objetos ritualísticos judaicos, da Alsácia, e um modelo shtiebel (sala de oração).
23-25, Quai St-Nicholas, tel. 03.88.52.50.01,


Antigo bairro Judaico
Antigo bairro judaico de Strasbourg na Rue des Juifs, uma das ruas mais antigas da cidade. Lá existe uma sinagoga do século 12 (no arrondissement 30), uma padaria judaica (no arrondissement 17). O arrondissement 15, construído em 1290, é a única construção remanescente desse período habitada por judeus. Ao virar a esquina na rue des Charpentiers, nº 20, encontraremos um mikvah do século 13 (banho ritual). Devido a sua idade e fragilidade, o mikvah é aberto raramente e somente para viagens em grupo. As reservas podem ser feitas no escritório de turismo.

 

Restaurantes
Autre Part 60, blvd. Clemenceau, tel. 03.88.37.10.02. Dairy
King 28, rue Sellénick, tel. 03.88.52.17.71. Meat

 

Livrarias
Librairie du Cédrat 19, rue du Maréchal Foch, tel. 03.88.36.38.39
Librairie du Cédrat 15, rue de Bitche, tel. 03.88.37.32.37

Passeio de carro

Passear de carro pelo interior da cidade é uma maneira divertida e relaxante de conhecer esta região e passar pelos locais históricos judaicos. As estradas são bem sinalizadas e, com um bom mapa ao lado - como Michelin #242—pode-se facilmente visitar a região em dois ou três dias.

De Strasbourg, siga ao norte da Route de Bischwiller/D468 para Bischheim (4 quilômetros).

Bischheim
Primeiro um vilarejo e agora um subúrbio de Strasbourg, os judeus começaram a se estabelecer aqui, após terem sido expulsos de Colmar, em 1512. Uma das mais importantes comunidades na França se estabeleceu e se manteve aqui até a Revolução Francesa.


Museu


Esta foi a casa de Davi Sintzheim (1745-1812), um dos primeiros rabinos-chefes da França. Aqui você pode ver um mikvah (banho ritual) que foi utilizado durante este período, e o quarto que possui as características da vida judaica em Bischhein. Contate o museu para organizar as visitas em Cour des Boecklin, 17, rue Nationale, tel. 03.88.81.49.47.

De Bischheim, continue ao norte na D468 para chegar na D37 (1km). Siga ao norte da D37 até a D48 na Kurtzenhouse (16km). Vire a esquerda na D48 até a Haguenau (9km).

 

 

Haguenau
Escritório de Turismo - Place de la Gare, 67500 Haguenau, tel. 03.88.93.70.00.
www.ville-haguenau.fr

A comunidade Judaica de Haguenau, que data do século 13, é uma das mais antigas da Alsace.

 

Sinagoga
A sinagoga histórica foi construída em 1821 e, como a maioria na região, foi destruída pelo Nazismo durante a Segunda Guerra Mundial e logo depois restaurada. 3, rue du Grand-Rabbin-Joseph-Bloch.

 

Cemitério
O cemitério foi construído no século 16, mas o mais antigo monumento é de 1654. Rue de l'Ivraie, informações disponíveis no escritório de turismo.

 

Museu
O Musée Historique , www.ville-haguenau.fr/?id=13, tem uma coleção de objetos judaicos. 9, rue du Maréchal Foch, tel. 03.88.93.79.22

De Haguenau, pegue a D919 em direção ao oeste, e siga para Pfaffenhoffen (14 km).

 

Pfaffenhoffen
Escritório de Turismo de Pays de Hanau 68, rue Général Goureau, 67340 Ingwiller, tel. 03.88.89.23.45. www.tourisme.pays-de-hanau.com

Sinagoga/Museu, www.pfaffenhoffen.org/ancienne-synagogue.html

A sinagoga desativada, hoje um monumento nacional, foi construído em 1791. Esta antiga sinagoga é a mais rara na Alsácia. Sua restauração foi iniciada no final dos anos 90 com a concessão do World Monuments Fund. Além do matzo oven, um mikvah, e a Arca da Aliança, exposições temporárias e permanentes traçam a história da comunidade judaica.

De Pfaffenhoffen, continue na D919 para a D324 (5 km). Vire a esquerda na D324/D24 até Bouxwiller (7 km).


Bouxwiller

 

Museu
O Musée Judéo-Alsacien, http://judaisme.sdv.fr/today/muse, fica dentro de um edifício que antigamente era uma sinagoga, típica de cidades pequenas. Exposições permanentes e temporárias detalham a vida rural judaica na Alsácia durante séculos, incluindo os feriados, casamentos e rituais de circuncisões celebrados. 62, Grand' rue, tel. 03.88.70.97.17

De Bouxwiller, em direção ao sudoeste, na D6 siga até a N404 (12 km). Siga em direção ao sul na N404 até chegar na N4 (5 km). Continue no sul da N4 para Marmoutier (3 km). .

 

Marmoutier
Escritório de Turismo 1 rue du Général Leclerc, 67441 Marmoutier. tel. 03.88.71.46.84. http://www.paysdemarmoutier.com/

 

Museu
O Musée d'Arts et Traditions Populaires de Marmoutier está fixado num edifício do século 16, com uma coleção de objetos judaicos da Alsácia rural, um mikvah do século 16, e uma sala escondida, que funcionava como sinagoga, na época que eram ilegais na Alsácia.  http://judaisme.sdv.fr/synagog/basrhin/g-p/marmout/musee.htm Contate o escritório de turismo para visitas em grupos semanais.
6, rue du Général Leclerc, tel : 03.88.71.46.84

De Marmoutier, continue no sul da N4 até Wasselonne (8 km).

 

Wasselonne
Escritório de Turismo - 22, place du Général Leclerc, 67310 Wasselonne. tel. 03.88.59.12.00.
www.suisse-alsace.com

   

Matzoh Producer
Ets René Neymann - Visitas com agendamento.
46, rue du 23 novembre, tel. 03.88.87.03.57,
www.neymann.com

De Wasselonne, continue em direção ao sul da N4 até a D422 (3 km). Vire a direita na D422 até Obernai (22 km).

 

Obernai
Escritório de Turismo - Place du Beffroi, 67210 Obernai, tel. 03.88.95.64.13.
www.obernai.fr

 

Um agradável passeio em torno desta pitoresca e antiga cidade- confira a arquitetura alemã com o idioma francês - este passeio revelará como as forças da história têm desempenhado um papel tão importante na região.

 

Sinagoga
A sinagoga neo-românica foi inaugurada em 1876 e reedificada em 1948. Para visitas, entre em contato com o escritório de turismo.


De Obernai, siga em direção ao oeste na D426 até Ottrott (4 km). Continue ao oeste na Route de Klingenthal e então siga na Route du Mont Sainte-Odile até D214 (4 km). Vire a direita na D214 até a D130 (9 km). Vire a direita na D130 até Le Struthof (8,5 km).


Le Struthof

Campo de Concentração
De maio de 1941 até agosto de 1944, o Struthof foi utilizado como campo de trabalho forçado, principalmente para presos políticos. Mais de 25.000 prisioneiros foram colocados aqui e obrigados a trabalhar em grandes pedreiras, próximas. Milhares foram executados a mando de Josef Kramer (conhecido como a Besta de Belsen), incluindo alguns prisioneiros judeus que sofreram como cobaias para experimentos de doenças infecciosas. O campo foi liberado em 23 de novembro de 1944. Um cemitério, os quartéis, o portão da frente, e alguns edifícios isolados permanecem juntos ao memorial dos deportados, dedicado pelo presidente Charles de Gaulle em 1960.
http://judaisme.sdv.fr/histoire/shh/struthof.htm

 


Para mais informações contate a Direction Interdépartementale des Anciens Combattants et Victimes de Guerre, Service de Strasbourg. Cité Administrative, 67084 Strasbourg.
tel. 03.88.76.78.99.

Retorne para Obernai. Siga em direção ao sul na D422, até Goxwiller (4 km).

Goxwiller

 

Kosher Winery
Christophe Koenig Winery ensina como é feito o vinho kosher. Passeios são gratuitos, mas há um custo para a degustação. Reserva antecipada. 35, rue Principale. tel. 03.88.95.51.93

De Goxwiller, continue ao sul na N422, até a N83 (15 km). Vire a direita (sul) na N83 até a D4 (20 km). Vire a direita na D4 até a Sigolsheim (6 km).

Sigolsheim

 

Kosher Winery
A Cave de Sigolsheim Kosher, de vinhos Alsacianos, está disponível para degustação e compra.
Reserva antecipada para grupos. 11, rue St-Jacques. tel. 03.89.78.10.10,
www.vinsigolsheim.com

Retorne para a N83 (6 km) e vire a direita (sul) até Colmar (5 km).

 

  

Colmar
Escritório de Turismo - 4, rue des Unterlinden, 68000 Colmar, tel. 03.89.20.68.92. www.ot-colmar.fr

Pertencente a Alemanha até 1681, Colmar teve um centro comunitário judaico datado em meados do século 13. A comunidade medieval, que possuía uma sinagoga, um mikvah e um cemitério, estabelecidos entre a atual Rue Chauffour e a Rue Berthe-Molly (chamada então de Rue des Juifs).


Sinagoga

Consistoire Israélite du Haut-Rhin, originalmente construída em 1840, esta sinagoga neo-românica típica da França durante o período foi destruída pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial, e depois restaurada pela comunidade local em 1959.3, rue de la Cigogne, tel. 03.89.41.38.29

 

Museu
Dentro do Museu Bartholdi, a sala Katz contém uma bela coleção de objetos ritualísticos judaicos e um mobiliário de sinagoga. O museu está localizado na casa de Auguste Bartholdi, o escultor da Estátua da Liberdade. 30, rue des Marchands, tel. 03.89.41.90.60. www.musee-bartholdi.com/

De Colmar, vá em direção ao sul da N83 até a Soultz-Haut-Rhin (28 km).

 

Soultz
Escritório de Turismo 14, place de la République, 68360 Soultz, tel. 03.89.76.83.60, www.florival.net

  

Museu
O Musée du Bucheneck inclui uma coleção de objetos judaicos da Alsácia rural na sala Moïse Ginsburger Rue Kagenack, tel. 03.89.76.02.22

 

 Início da página

 


Borgonha

 

Dijon
Escritório de Turismo 34, rue des Forges, 21000 Dijon, tel. 03.80.44.11.44,
www.dijon-tourism.com

A comunidade judaica daqui remete ao final do século 12, quando o bairro judaico fixava-se na Rue de la Petite Juiverie (local da sinagoga medieval, hoje Rue Piron), Rue de la Grande-Juiverie (hoje Rue Charrue), e a Rue des Juifs (agora Rue Buffon). O cemitério era localizado onde hoje é a Rue Berlier. Ela foi destruída depois que os judeus foram expulsos da França em 1306. A nova comunidade foi estabelecida depois da Revolução Francesa.

 

Museu
Musée Archéologique de Dijon (museu arqueológico de Dijon) abriga uma importante coleção das lápides judaicas dos séculos 12 e 13 e fragmentos das lápides. 5, rue du Docteur-Maret, tel. 03.80.30.88.54

Sinagoga

 

Este belo edifício foi construído em 1879. Durante a ocupação alemã, a sinagoga foi usada como um armazém, mas foi poupada da destruição que muitos outros edifícios tiveram durante a Segunda Guerra Mundial, e perdeu apenas seus bancos originais. 5, rue de la Synagogue, tel. 03.80.66.46.47 .

 

 Início da página

 


Champagne-Ardenne

 

Champagne já foi local de centros de estudos judaicos - mais precisamente em Troyes, o berço do Rabino Solomon ben Isaac (Rashi). Durante a Idade Média, os judeus foram proeminentes na viticultura e agricultura.

 

Reims
Escritório de Turismo - 2, rue Guillaume de Machault, 51100 Reims, tel. 03.26.77.45.00.
www.reims-tourisme.com

 

Os historiadores têm dúvidas quanto à localização da sinagoga medieval de Reims, mas acredita-se ter sido no número 18 da rue des Elus, uma rua cujo nome mudou ao longo dos séculos, de Vicus Judaeorum para a Rue de Gieu e depois para a Rue des Elus.
Judeus da Alsace e de Lorraine estabeleceram uma comunidade em Reims, em 1870. No entanto, em 1941, nas vésperas da II Guerra Mundial, as 200 famílias que viviam aqui foram deportadas pelos alemães em um único dia.

Sinagoga
Construída em 1871, esta sinagoga tem uma placa em memória àqueles que foram deportados.
49, rue Clovis, tel. 03.26.47.68.47

Memorial da Guerra
Uma urna contém as cinzas das vítimas dos campos de concentração. Blvd. Général-Leclerc

Troyes
Escritório de Turismo Rue Mignard, 10000 Troyes, tel. 03.25.73.36.88, www.tourisme-troyes.com

Um dos maiores da história da Torá e comentarista Talmud, Rabbi Solomon ben Isaac, conhecido pelo acrônimo Rashi (1040-1105), nasceu, viveu e ensinou aqui. (Durante a primeira Cruzada, Rashi foi forçado a fugir das revoltas anti-semitas. Voltou a Worms, na Alemanha, onde teve os primeiros ensinamentos. Ali permaneceu até sua morte. Neto de Rashi, o estudante judeu conhecido como Rabbenu Tam (1100 -1171), também lecionou em Troyes e atraiu estudantes de toda a Europa. Historiadores acreditam que o bairro de St-Frobert era o bairro judeu. Nada resta da comunidade medieval judaica que, embora muita pequena no tamanho, proporcionou uma enorme contribuição para o Judaísmo.

Sinagoga
Localizada na parte histórica da cidade, esta sinagoga é uma réplica daquelas do tempo de Rashi. Construída em 1982, ela foi inaugurada em 1987. 5, rue Brunneval, tel. 03.25.73.53.01

Livraria
Institut Universitaire Rachi 2, rue Brunneval, tel. 03.25.73.22.98, www.institut-rachi-troyes.fr/

Início da página

 


Lorraine


Acredita-se que as estruturas judaicas neste antigo ducado remetem para o quarto século. Em meados do século 15, o duque João II concedeu aos judeus o direito de viver em cidades como Nancy, Lunéville e Sarreguemines, mas somente 20 anos mais tarde seu sucessor, o duque René II, se apossou das suas propriedades e os expulsou.

A vida melhorou um pouco quando Lorraine tornou-se parte da França em 1766. Às vésperas da Revolução Francesa, cerca de 500 famílias judias viveram na região.

Após a emancipação dos judeus, a grande maioria dos judeus de Lorraine (cerca de 11.000 em 1808) viveu e em torno de Nancy. Eles fixaram sinagogas, escolas e organizações comunitárias. Em 1871, após a derrota da França na Guerra Franco-Prussiana, em 1871, os judeus refugiados da Alsace e de algumas partes de Lorraine, anexados pela Alemanha mudaram-se para a Lorraine Francesa. O Tratado de Versalhes (1919), que devolveu as regiões de Alsace e Lorraine à França, resultou em um aumento da população judaica através da imigração da Europa Oriental. A Segunda Guerra Mundial teve um grande efeito sobre os judeus de Lorraine.


 

Nancy
Escritório de Turismo - Place Stanislas, 54000 Nancy, tel. 03.83.35.22.41, www.ot-nancy.fr

Sinagogas
A principal sinagoga, construída em 1788, foi restaurada e ampliada em 1841. É uma das mais antigas na Alsace e Lorraine, e classificada como monumento histórico francês. Durante a Segunda Guerra Mundial, os alemães usaram-na como um depósito de suprimentos. 17, blvd. Joffre, tel. 03.83.32.10.67

O Cercle Juif Masorti de Nancy é uma congregação conservadora.
9, rue Blondlot.

Museu
Musée Lorrain, www.nancy.fr/culturelle/musee/html/musee_lorrain.php, tem a segunda mais importante coleção de Torahs na França, livros de orações e outros objetos judaicos. 64, Grand’ rue, tel. 03.83.32.18.74

Lunéville
Escritório de Turismo - 54300 Lunéville, tel. 03.83.74.06.55.
www.luneville.fr

Synagogue
Esta sinagoga histórica,
www.luneville.fr/decouverte/monuments/synagogue/ concluída em 1786 e ampliada em 1860, foi a primeira na França a ter a autorização do rei. Ela foi salva da destruição nazista pelas tropas americanas.

Verdun
Escritório de Turismo - Place de la Nation, 55100 Verdun, tel. 03.29.84.18.85.
www.verdun-tourisme.com

 

Os judeus vivem aqui desde o século IX, sendo também um centro de estudantes rabínicos que escreveram comentários e análises da Torá e do Talmude. O mais notável dentre estes, foram os seguidores de Rabbenu Tam, consulte Troyes e RASHI.

Sinagoga
Construída em 1805 no local de um convento Dominicano, a sinagoga foi destruída durante a guerra Franco-Alemã em outubro de 1870, mas reconstruída em 1872. Seu estilo arquitetônico Mourisco reflete as influências bizantinas dos séculos 10, 11, e 12. Na Segunda Guerra Mundial, os nazistas esvaziaram a sinagoga e usaram-na como um depósito. Ela foi restaurada com a ajuda de membros judeus do exército americano e inserida no cadastro de monumentos históricos em 1984. Impasse des Jacobins, tel. 03.29.84.39.15

Memorial
Em Fort Douaumont, um memorial homenageia os judeus franceses e estrangeiros que morreram pela França durante a primeira guerra mundial. Ele foi inaugurado em junho de 1938, o 22 º aniversário da terrível batalha de Verdun.



Metz

Escritório de Turismo - 2, place d’Armes, 57000 Metz, tel. 03.87.55.53.76.
www.tourisme.mairie-metz.fr

Na Idade Média, o Vicus Judaeorum foi um bairro judaico. Metz foi o lar do primeiro estado francês a ser sancionado como seminário rabínico (Ecole Centrale Rabbinique), que foi transferido para Paris em 1859.

Sinagoga
Monumento histórico Francês. judaisme.sdv.fr/histoire/villes/metz/synago/synago.htm, 39, rue du Rabbin-Elie-Bloch, tel. 03.87.75.04.44