A cultura em Guadalupe

A cultura em Guadalupe

  

Verdadeiro cadinho de influências culturais, Guadalupe é o lar de um vibrante e diversificado cenário cultural.

Verdadeiro cadinho de influências culturais, Guadalupe é o lar de um vibrante e diversificado cenário cultural. Os sabores culinários, musicais e artísticos da França, da Índia, da África e, claro, do Caribe, encadeiam-se em Guadalupe para formar uma colorida tapeçaria de imagens e sons.  Locais HistóricosGuadalupe tem uma história longa e tumultuada que começou ao redor de 700 A.C., quando os primeiros ameríndios vieram da Venezuela. Cristóvão Colombo aportou na ilha em 1493, batizando-a de Santa Maria de Guadalupe, e a ilha foi mais tarde invadida pelos franceses e pelos ingleses. Guadalupe também atravessou um longo período de comércio com as Índias Ocidentais, África e Europa, durante o qual milhões de escravos negros foram enviados para trabalhar em plantações. Hoje em dia, os visitantes podem encontrar lembranças da história de Guadalupe na forma de locais históricos espalhados em todas as ilhas. O Forte Napoleão fica sobranceiro à Baía dos Santos, na ilha Terre-Haute do arquipélago Les Saintes. Destruído pelos soldados britânicos em 1809 e reconstruído durante o período napoleônico, o forte é hoje um museu comemorativo da história das Les Saintes. Existe também um exótico horto de cactos, incluindo cactos do mundo todo, mas principalmente das espécies indígenas. O Museu Schoelcher em Point à Pitre também é um excelente lugar para se conhecer a história de Guadalupe. Primeiro museu a ser inaugurado na ilha, ele é dedicado à vida de Victor Schoelcher, que liderou o movimento em prol da abolição da escravidão em Guadalupe.  MúsicaLa biguine, uma mistura de polca com o bélé, um tradicional ritmo creole, constitui a trilha sonora cultural em Guadalupe. Os habitantes também gostam do “Gwo ka la base” e do “zouk”, para dançar nas casas noturnas, nas ruas e em qualquer lugar onde exista música no ar.    ArtesanatoO artesanato local desempenha um vasto papel na cultura de Guadalupe. A marcenaria (em Pointe Noire), as esculturas em cocos (em Saint François) e o bordado (na La Broderie de Vieux-Fort) são todos praticados em Guadalupe e os artesãos locais produzem obras dignas de serem levadas como lembrança. Você poderá levar para casa versões da arte de Guadalupe, oferecidas em qualquer um dos mercados locais, ou visitar um dos muitos museus histórico da região, para observar seus melhores quadros e peças de artesanato.  CulináriaÉ claro que você não poderá “sentir” a cultura de Guadalupe sem experimentar sua comida. Aqui, o peixe e os frutos do mar frescos estão sempre no cardápio: mariscos, lagostas, ostras e peixes misturam-se aos sabores creole e são servidos com verduras frescas das hortas locais. Carne temperada com curry, feijão vermelho e arroz servidos como acompanhamento de muitos pratos, e frutas exóticas frescas como mamão papaia e coco, consumidas no café da manhã, também servem para lembrá-lo do cadinho que existe não só na cultura como também nas cozinhas de Guadalupe.  Guadalupe é conhecida como um dos maiores consumidores de champanhe entre todas as ex-colônias francesas, mas as bebidas mais tradicionais também estão por toda parte. O ponche feito de frutas frescas e rum localmente fabricado, ou o Ti-punch (uma mistura de rum, suco de lima e açúcar) ajudarão você a lavar da boca o sabor dos pratos (frequentemente muito temperados)  AgriculturaA agricultura também desempenha vasto papel na cultura e na história de Guadalupe. Espalhados pelas ilhas, você encontrará museus dedicados a tudo, desde as bananas (Maison de la Banane) até o cacau (Maison du Cacao), o café (Musée de Café) e o rum (Musée de Rhum). Canaviais, cafezais e bananais, tudo isso pode ser visto em um passeio de carro pelas ilhas.