Campagne Bourgogne - Patrimônio Cultural

Campagne Bourgogne - Patrimônio Cultural

function xt_med(p1,p2,p3,p4){return true;}function xt_med(p1,p2,p3,p4){return true;}function xt_med(p1,p2,p3,p4){return true;}function xt_med(p1,p2,p3,p4){return true;}function xt_med(p1,p2,p3,p4){return true;}function xt_med(p1,p2,p3,p4){return true;}function xt_med(p1,p2,p3,p4){return true;}function xt_med(p1,p2,p3,p4){return true;}function xt_med(p1,p2,p3,p4){return true;}function xt_med(p1,p2,p3,p4){return true;}function xt_med(p1,p2,p3,p4){return true;}

  

A Bourgogne é uma terra marcada pela arte românica,
um patrimônio cultural excepcional...

A Bourgogne teve a sorte de levar um nome que atravessou e marcou os séculos. Da
pré-história ao mundo industrial moderno, passando pela Antiguidade, a Idade Média e
a Idade de Ouro dos Grandes Duques do Ocidente, cada época legou à Bourgogne um
patrimônio cultural de uma riqueza e variedade excepxionais: vestígios galo-romanos,
igrejas e abadias, castelos e hospitais, museus e cidades artísticas lhe esperam para
uma visita apaixonante.

A arte romana é provavelmente a forma artística mais emblemática da Bourgogne. Locais
como Cluny, Vézelay, Tournus, Paray-le-Monial, Fontenay, La Charité-sur-Loire, entre outros,
nos faz lembrar que, durante séculos, a Bourgogne foi sempre um dos berços intelectuais
e espirituais de obras-primas da arte românica. Foi por volta do ano 1000 que, de fato,
iniciou-se a arquitetura monástica. O mundo, livre do terror que a passagem de milênios 
havia inspirado, havia se coberto em um “manto branco de igrejas” que continuam a ser,
até hoje, um grande número de testemunhas daquela época nos quatro cantos da região.

Os principais locais da arte românica na Bourgogne

Cluny
Fundada em 910, Cluny. “a luz do mundo” , foi o mosteiro mais poderoso na França durante
a Idade Média. No auge de seu poder, ela contava com mais de 450 monges. Esta gigantesca
igreja, construída principalmente entre 1088 e 1130, foi até a construção de São Pedro,
em Roma, no Século 16, a maior igreja de toda cristandade. Seu comprimento é de 177 metros,
tem uma altura interna de 32 metros e é composta por um nártex, cinco naves, dois transeptos,
cinco campanários e duas torres. Esta maravilha foi infelizmente destruída, além de ter tido
suas pedras desmontadas e vendidas após a Revolução Francesa. O que resta de sua arquitetura,
 hoje em dia, são os dois braços do transepto direito, a pequena “Torre do Relógio” e o
“Campanário da Água Benta”, um elegante campanário octognal com 62 metros de altura.
Vários capitéis provenientes do coro da igreja abacial estão expostos no “Farinier” da abadia,
um belíssimo edifício do Século 13. No centro histórico da cidade há muitas casas medievais
dos Séculos 12 e 13.

"CLUNY 2010":

Milésimo aniversário da fundação da abadia de Cluny

Para mais informações:
Escritório de Turismo de Cluny
www.cluny-tourisme.com

Tournus
Na margem direita do rio Saône, a pequena cidade de Tournus é caracterizada por uma atmosfera
quase meridional que a conferem as árvores plantada em suas praças e as casas antigas com
cores pastel. A capela da Igreja de Saint-Philibert é a mais antiga entre as grandes igrejas
românicas da Bourgogne. O austero exterior contrasta com o interior banhado em uma luz suave
que se reflete sobre os pilares cilíndrico da nave.
Nas proximidades de Tournus, a pequena vila Chapaize abriga muitas casas típicas das vinhas
de Mâconnais e, sobretudo, uma bela igreja românica construída no Século 11, conhecida por
sua alta torre sineira.

Para mais informações:
Escritório de Turismo de Tournus
www.tournugeois.fr

Paray-le-Monial
Construído em um período muito curto, entre 1092 e 1109, sob a direção de Saint-Hughes, o
maior abade de Cluny, a Igreja de Paray-le-Monial é uma cópia autêntica, em escala reduzida,
da grande igreja abacial de Cluny. A igreja foi elevada ao título de Basílica em 1875, e o
culto ao Sagrado Coração atrai anualmente quase meio milhão de peregrinos a Paray-le-Monial.
Nas proximidades de Paray-le-Monial, Brionnais, uma simpática região que vive essencialmente
da criação de bovinos, cheia de magníficas igrejas românicas de campanha. Os exemplos mais
interessantes encontram-se em Anzy-le-Duc e Semur-en-Brion, berço de Saint-Hugues.

,div align=justify>Para mais informações:
Escritório de Turismo de Paray-le-Monial
www.paraylemonial.fr

La Charité-sur-Loire
Consagrada em 1107, a Igreja do Priorado de La Charité-sur-Loire era, após a de Cluny,
a maior igreja da França na Idade Média, com capacidade de acomodar até 5000 pessoas.
Portadora do título de "filha mais velha de Cluny", é uma etapa importante do Caminho
de Santiago de Compostela, que se inicia em Vézelay, porque este é o único lugar onde
os peregrinos podiam atravessar o rio Loire na bela ponte de pedra. Por causa de sua
posição no Caminho de Santiago de Compostela, a igreja foi tombada como Patrimônio
Mundial pela Unesco. Apesar da destruição que sofreu ao longo dos séculos, continua
a ser uma das maiores obras-primas da arte românica na Bourgogne.

,div align=justify>Para mais informações:
Escritório de Turismo de La Charité-sur-Loire
www.lacharitesurloire-tourisme.com

Vézelay
Vézelay, a "eterna colina", foi durante a Idade Média, local de peregrinação,
por excelência, pois era o ponto de encontro e partida para as cruzadas e para
Santiago de Compostela, mas foi também, e acima de tudo, o lugar para onde iam
pessoas de todas as partes venerar as relíquias de Santa Maria Madalena.
A Basílica de Sainte-Madeleine possui, um dos mais extraordinários conjuntos
esculpidos da França: os capitéis dos diversos salões ilustram os temas do
Antigo e Novo Testamentos e o tímpano do portal central representa Pentecostes
com Cristo na glória rodeado pelos Apóstolos. A "eterna colina", a cidade e
a Basílica de Vézelay celebram, em 2009, o 30º aniversário de sua inscrição
como Patrimônio Mundial pela Unesco.

Para mais informações:
Escritório de Turismo de Vézelay
www.vezelaytourisme.com

Autun

Fundada no Século 1 a.C., Autun (“Augustodonum") foi uma cidade de primeira
importância na época romana. Muitos vestígios dessa época ainda testemunham
seu glorioso passado, incluindo o teatro romano, que foi a maior em toda a Gália.
A catedral românica Saint-Lazare foi construída no Século 12, em um local de
peregrinação dedicado às relíquias de São Lázaro. O interior do edifício tem
as características da arte românica cluniense. A sala capitular abriga os mais
belos capitéis do Século 12, entre outros “O Sonho dos Reis Magos”, “A Fuga do Egito”
e “A Adoração dos Reis Magos”. A obra-prima da catedral é, sem dúvida, o tímpano
extraordinário do portal central. Construído entre 1130 e 1135, representa o
Dia do Julgamento Final. Este é o único tímpano medieval assinado pelo seu autor,
Gislebertus. Este artista excepcional assinou o seu trabalho com a frase latina
“Gislebertus hoc fecit”.
O Museu Rolin (próximo à Catedral), abriga tesouros da escultura românica, incluindo
“A Tentação de Eva”. Simplesmente imperdível!

Para mais informações:
Escritório de Turismo de Autun
www.autun-tourisme.com

Fontenay

Depois de ter sido o berço dos Clunienses, a Bourgogne também foi berço da segunda
maior ordem monástica: Cistercienses. Fundada em 1118 por São Bernardo de Clairvaux
e incluída no Patrimônio Mundial da Unesco desde 1981, a Abadia de Fontenay é um dos
exemplos mais completos e mais bem preservados da arte românica cisterciana, com uma
arquitetura austera e sem adornos, tanto nos edifícios dedicados à oração quanto nos
edifícios consagrados ao trabalho dos monges.
Não deixe de visitar: a igreja abacial, o claustro, a sala capitular, os dormitórios dos
monges, a fundição, e o magnífico jardim redesenhado pelo grande arquiteto e paisagista
inglês, Peter Holmes.

Para mais informações:
Abadia de Fontenay
www.abbayedefontenay.com