Campagne Bourgogne - Gastronomia e Vinhos

Campagne Bourgogne - Gastronomia e Vinhos bourgogne fr

Na Bourgogne
a gula não é pecado!

Saborosos passeios na Bourgogne. A boa reputação gastronômica da região é por todos conhecida. Uma viajem à Bourgogne lhe dará a oportunidade de soboreá-la e constatar que aqui as tradições estão  bem vivas, os produtos locais são de alta qualidade e que os chefs transbordam talento.

Durante uma pausa gastronômica, todos poderão desfrutar da diversidade dos sabores borgonheses: gougères dourados e petiscos ligeiros acompanhados de um aperitivo em um bistrot de campagne, fatias de presunto du Morvan levados na mochila para um piquenique reparador, degustar uma pôchouse (o bouillabaisse local) em uma parada ao longo do Saône, um punhado de framboesas apanhadas em alguma fazenda produtora de Hautes-Côtes... Depois de ter se misturado à multidão em uma feira ou em um mercado de pequenos produtores, você poderá apreciar a cozinha regional preparada nos restaurantes, nas pousadas ou nas tables d’hôtes ao longo da jornada. Você terá o simples prazer de saborear ovos en meurette, frangos de Bresse ou um andouillete ao chablis, seguido de um prato de queijos borgonheses, époisses, cîteaux ou chevreton de Mâcon. E para fechar com chave de ouro, seria imperdoável não fazer uma refeição preparada por um dos vários grandes chefs que colocam a Bourgogne no topo da arte culinária, sendo a região com mais “estrelas” na França. Uma verdadeira festa para os sentidos, acoplado com um inesquecível momento de prazer e emoção.

 

Os produtos locais e as especialidades regionais

Quando falamos de boa cozinha, queremos também dizer bons produtos e boas especialidades regionais. Na Bourgogne, alguns destes produtos e especialidades têm fama mundial como por exemplo a mostarda, os escargots, a carne de novilho Charolais, o cassis ou os queijos. Aqui uma seleção de bons endereços: 

  

Mostarda:

- Boutique Maille, em Dijon:

Fundada em 1777 e especializada em mostardas inéditas e vinagres exclusivos.

www.maille.com

- Moutarderie Fallot, em Beaune:

Mostarderia tradicional, propõe formatos lúdicos para sua visita.

www.fallot.com

 

Pães e doces:

- Boutique Mulot et Petit-Jean, em Dijon:

Loja especializada na venda de pães de especiarias e seus produtos derivados.

www.mulotpetitjean.fr

- Boutique Bourgogne Street, Rue de la Liberté em Dijon:

Loja de produtos autenticamente borgonheses.

www.bourgognestreet.fr

- La Rose de Vergy, Rue de la Chouette, em Dijon:

Fabricação artesanal de biscoitos açucarados, pães de especiarias e doces.

www.rosedevergy.com

- Les Anis de Flavigny, em Falvigny-sur-Ozerain:

Fabricação artesanal de balas de anis.

www.anisdeflavigny.com

 

Licores, cassis, néctares de frutas:

- Boutiques Védrenne, em Beaune, Dijon e Nuits-Saint-Georges:

Creme de cassis, Marc de Bourgogne.

www.vedrenne.fr

- Gabriel Boudier, em Dijon:

Creme de cassis, Marc de Bourgogne.

www.boudier.com

- Le Cassissium, em Nuits-Saint-Georges:

Museu, degustação e loja que conta a história do cassis.

www.cassissium.com

- La Ferme Fruirouge, em Nuits-Saint-Georges:

Fabricação à moda antiga a partir de frutas cultivadas na fazenda e trabalhadas no local.

www.fruirouge.fr

 

Queijos:

- Fromagerie Gaugry, em Brochon (próximo à Dijon):

Descubra a fabricação de queijos de leite cru. Degustação.

www.gaugryfromager.com

- Fromagerie Berthaut, em Epoisses:

Fabricação e vendas de queijos de Epoisses.

www.fromagerie-berthaut.com

 

A Bourgogne e seus inúmeros vinhedos: bem-vindo ao coração de um mito!

A Rota dos Vinhos ou a melhor maneira de “degustar” a Bourgogne. A Bourgogne é geralmente conhecida por seu rico passado histórico, por seu patrimônio artístico excepcional ou até mesmo por sua autenticidade e pela qualidade de sua gastronomia, mas é, acima de tudo, graças aos seus grandes vinhos que esta adquiriu uma notoriedade mundial. Vir à Bourggne sem ir ao encontro de seus vinhedos seria como visitar Roma e deixar de ir ao Capitólio. A Rota dos Vinhos da Bourgogne constitue o fio condutor ideal para descobrir a região. Uma Rota do Vinho, de fato, é composta de vários itinerários que atravessam os principais vinhedos borgonheses. A Rota de Grands Crus, também conhecida como “Champs-Elysées” da Bourgogne, realiza-se desde Dijon até Santenay, passando por Nuits-St-Georges e Beaune, e o levará a conhecer 24 dos 33 “Grands Crus” existentes em Bourgogne. A Rota turística dos Grandes Vinhos da Bourgogne vai através dos vinhedos de Maranges, Couchois e da Côte Chalonnaise.

A Rota dos Vinhos Mâconnais-Beaujolais viaja através da parte mais meridional da região do vinhedo borgonhês e o permitirá descobrir Roche Salutré e suas paisagens que tanto inspiraram o grande poeta Lamartine, filho da nação. Ao Norte, a Rota turística dos Vinhos de l’Yonne oferece vários circuitos nas redondezas de Chablis, Auxerre, Vezelay, Tonnerre e Joigny, e uma nova Rota du Crémant foi recentemente inaugurada nas proximidades de Châtillon-sur-Seine. Bem ao Oeste, fora da denominação de origem Bourgogne mas localizado dentro do territórito da região da Bourgogne, a Rota do Coteaux de Pouilly- Sancerre permite descobrir a parte borgonhesa do Vale do Loire. Todos estes itinerários podem ser descobertos de várias maneiras. Da maneira mais clássica, conduzindo o próprio carro, ou da maneira mais prudente com os transportes públicos que permitem limitar os efeitos da degustação. Você também pode descobrir a Rota dos Vinhos de forma mais original como de balão, jipe, a pé em uma das muitas trilhas pedestres, de bicicleta em algumas rotas como o "Voie des Vignes" entre Beaune e Santenay, ou a cavalo através de várias trilhas equestres. Seja qual for a forma desta descoberta, a qualidade da recepção será sempre a melhor, especiamente entre os 282 viticultores que aderiram à Carta de Qualidade “De Vignes en Caves”. Basta localizar a placa “De Vignes en Caves” fixada na entrada do local e empurrar a porta. Lá, seu
anfitrião vai lhe oferecer gratuitamente a degustação de pelo menos um vinho e 
poderá lhe iniciar nos segredos das variedades de uvas, das dominações de origem, dos  sabores e aromas da Bourgogne. Você terá então a oportunidade de comprar vinho no local e levar para casa algumas boas garrafas para poder partilhar com família e amigos e assim, tranquilo e sem pressa, poder degustá-las ao máximo. Com moderação, claro!

As outras empresas turísticas da região não farão por menos e terão o maior prazer em compartilhar a legendária arte de viver da Bourgogne presente nos quartos dos hotéis e pequenos hotéis de charme,

nos chalés dos viticultores, nos restaurantes e nas pousadas, nas excursões aos vinhedos e iniciação à degustação ou durante as muitas festas da uva que marcam o calendário o ano
todo. 

  

Os vinhos da Bourgogne em números

Os vinhedos de Bourgogne estendem-se por quase 27.700 hectares e 300 km de norte a sul da região, porém ocupam apenas 2% das terras agrícolas utilizadas em Bourgogne. As principais castas utilizadas são o Pinot noir para os vinhos tintos e o Chardonnay para os vinhos brancos. Outras variedades são produzidas localmente em pequenas quantidades: O Aligoté (vinho branco utilizado na composição do aperitivo tradicional, o Kir) e o Gamay (vinho tinto). 

Em 2007, a produção total ascendeu ao número de 203 milhões de garrafas. Com a inclusão dos vastos vinhedos de Chablis e de Mâconnais, os vinhos brancos constituem 61% da produção contra 31 % de vinhos tintos. A produção do tipo crémant de Bourgogne está em plena evolução desde 2000 e já representa 8% da producão total de vinhos da região.

Das 477 denominações de origem controlada (A.O.C.) registradas na França, 101 pertencem às vinhas da Bourgogne, o que confirma a diversidade de seu solo. Com denominações regionais são 23 (bourgogne aligoté ou bourgogne côte chalonnaise, por exemplo), e representam 52% da produção. Com denominações comuns são 45 (saint-véran ou chablis, por exemplo), seguidos ou não pela menção “premier cru” (beaune premier cru les grèves, por exemplo), e representam 46,6% da produção. Por fim, como título supremo, a Bourgogne conta com 33 denominações “grand cru” (chambertin, montrachet…) representando 1,4% da produção.

 

Para mais informações:

Bureau Interprofissionnel des Vis de Bourgogne (B.I.V.B.):

http://www.vins-bourgogne.fr/

www.vins-bourgogne-tourisme.fr