Alpes do Norte: o paraíso sob todas as suas formas...

Alpes do Norte: o paraíso sob todas as suas formas...

<?xml:namespace prefix = o />

Simbolizam a alta montanha com a cimeira emblemática do Mont Blanc (4.8O7 m) e pelos Jogos Olímpicos de inverno (Chamonix em 1924, Grenoble em 1968 e mais recentemente Albertville em 1992). Três departamentos compõem esta região, Haute Savoie, Savoie e Isère (Dauphiné).

A Haute Savoie evoca certamente o Mont Blanc e o seu maciço facilmente acessível pela Vallée Blanche. As numerosas opções de passeio e de escalada oferecidas permitiram o desenvolvimento precoce de todo o vale de Chamonix. É na Haute-Savoie que desenvolveram-se as primeiras grandes estâncias de ski em França: Chamonix primeiro, nos anos 20, que permanece hoje a estância francesa mais conhecida no mundo, Megève, a estância “Jet-Set” e Saint Gervais aos encantos mais discretos. Encontra-se também o lago Léman (Lago de Genebra), com Thonon, Evian tornada famosa pelas suas águas, Yvoire com a sua aldeia medieval. Mais ao Sul, o lago de Annecy e os seus arredores oferecem paisagens magníficas e, a dois passos somente, a cadeia dos Aravis que protege designadamente as estâncais de La Clusaz e Grand Bornand. Também não é necessário esquecer as estâncias à arquitectura muito moderna, concebidas e realizadas nos anos 70, unicamente para fornecer o melhor domínio esquiavel possível: Avoriaz et Flaine. Há também numerosas estâncias aldeias que souberam conservar o seu encanto pitoresco: Vallorcine, Samoëns, Morzine… entre Châtel, Morzine, Les Gets ou Avoriaz, os esquiadores terão acesso acerca de 600 km de pistas. Prontos? A Savoie segue com um leque de estâncias capazes de satisfazer todos os desejos. A vocação turística da Savoie é mais antiga que a Haute-Savoie com um número mais importante de estâncias ditas “integrais”... No coração do departamento e com um acesso directo ao Parque de la Vanoise, encontra-se os 3 Vallées- o maior domínio esquiavel ao mundo - com Méribel, Courchevel, Les Menuires e Val Thorens. Pralognan e Champagny em Vanoise, ao limite dos 3 vallées, quanto a elas, souberam conservar um carimbo mais autêntico. Tignes e Val d’Isère, outras super estrelas que dominam a Haute Tarentaise, sem contudo estar a fazer sombra aos outros jogadores de excepção que são La Plagne e Les Arcs.Ao limite dos dois departamentos encontra-se Notre Dame de Bellecombe e Les Saisies, um dos altos lugares para a prática do ski nórdico. A Savoie também é o  lago do Bourget e Aix les Bains, uma das maiores estâncias termais de França.Acima de Aix, o Mirante do Revard abre sobre o maciço des Bauges e constitui um espaço natural incomparável para a prática da caminhada e do ski nórdico em inverno. Por último, a Maurienne propõe uma vasta gama de destinos e passeios nos arredores: Aussois ou Termignon-la-Vanoise, em Haute Maurienne, que soube perfeitamente conservar o seu encanto de aldeias tradicionais, da mesma maneira que Bessans e Bonneval sur Arc, ao pé do Col de l’Iséran. Val Cenis, La Toussuire, Valloire e Saint François Longchamp, conseguiram posicionar-se no mercado do ski mais importante.Isère – antigamente conhecido sob o nome Dauphiné - é um território de contrastes.Quando se fala de Isère, necessariamente temos de evocar o maciço do Vercors, paraíso espeleológico com as suas muito numerosas grutas e abismos. O Vercors, montanha de média altitude, constitui com La Chartreuse um maravilhoso espaço lúdico para pequenos e grandes: ski nórdico em Autrans, ski alpino em Villard de Lans. No verão, caminhos balizados e itinerários florestais oferecem numerosas oportunidades de belos passeios.Ao mesmo tempo país de contrafortes alpinos e de terrenos escarpados, Isère é caracterizado por uns andares em altitude. Assim a cadeia de Belledone ao relevo alpino é de uma abordagem mais técnica, terreno propício ao ski alpino e à escalada. Por último, no meio da região de Grenoble, o Oisan com Chamrousse, Les Deux Alpes e Alpe d'Huez - este último tornado famoso pela sua chegada de etapa espectacular na Volta à França - são todas grandes estâncias.Acesso:

Pela estrada graças aos eixos de auto-estradas (cujo a auto-estrada blanche), seguidamente estradas bem mantidas até as estâncias. Notar contudo que certos períodos de alta tecnologia podem provocar uma saturação momentânea de alguns grandes eixos.De comboio: TGV directos durante a estação, à saída de Paris e Lille, com destino à vários vales, depois autocarros até as estâncias.

De avião: vários voos para Lyon, Genève, e também Chambéry e Grenoble.