O Degas e o nu no Museu de Orsay

De 13 março 2012 a 02 julho 2012
  • Exposição Degas e o Nu

    Exposição Degas e o Nu

O Degas e o nu no Museu de Orsay 1 Rue de Bellechasse Paris fr

O Museu de
Orsay faz uma retrospectiva da obra de Degas (1834-1917) e a sua evolução no
que diz respeito à pintura do nu como expressão artística. A exposição
teve início no dia 13 de março e termina em 1º de julho.

Depois da
grande exposição sobre o artista em 1988, o Museu de Orsay lançou-se nesta
retrospetiva dando ênfase à evolução do seu trabalho no retrato do nu e do
movimento do corpo feminino. Degas é universalmente reconhecido como o
grande mestre das figuras em movimento, um hábil desenhista e um grande
inovador na arte do retrato. As suas
obras são consagradas pela inigualável técnica e originalidade das composições.

À boa
maneira de um voyeur (ou como alguns arriscariam chamar de misógino), Edgar
Degas mantinha uma estranha relação com mulheres de tutus e corsets. O seu
relacionamento com as mulheres foi breve. O que é estranho para um homem
que dedicou sua vida ao estudo dos movimentos e atitudes femininos, com minuciosa e quase obsessiva atenção. Dizia aos amigos que as mulheres faziam muito bem em se
interessar pela banalidade da moda, porque, do contrário, tornariam a vida dos homens mais difícil.

Quando o
pintor inglês Walter Sickert divulgou os métodos de pintura de Degas, que consistiam em espiar raparigas através de buracos de fechaduras e portas
semi-abertas, a imprensa britânica acusou o francês de pornografia. Mas o que
faltava a Degas em relação às (boas) maneiras do dia-a-dia, ele
ganhava na audácia e no aperfeiçoamento artístico, pintando e esculpindo à sua
maneira o corpo feminino de forma cada vez mais fluída, redefinindo até, em
termos artísticos, como a mulher nua podia ser retratada. Acabou por relaxar a
postura das modelos adotando ângulos e, delicadamente, quase de uma forma
amorosa, delineando-os de uma forma bonita e suave.