Exposição “Cabelos queridos, frivolidades e troféus” no Quai Branly

De 18 setembro 2012 a 14 julho 2013
  • Equipe de belo volume na largada de uma corrida, 1964

    Equipe de belo volume na largada de uma corrida, 1964

    © fotógrafo Neil Barr

  • Mkupuk Eba, série hairstyle, 1974 - foto por J.D.'Okhai Ojeikere

    Mkupuk Eba, série hairstyle, 1974 - foto por J.D.'Okhai Ojeikere

    © Museu Quai Branly

Exposição “Cabelos queridos, frivolidades e troféus” no Quai Branly 37, quai Branly 75007 Paris fr

Abordando a idéia de que cada um tem sua personalidade através do corte de cabelo, ele se apresenta inicialmente sob o ângulo da frivolidade, das competições entre loiros, ruivos, castanhos, lisos e enrolados e mais uma larga gama de pinturas clássicas, esculturas e fotografias. Comparando os estilos de Papua Nova Guiné, esses das belas cidades africanas ou dos artistas designers de hair style, a exposição avança até a idéia de material humano a modelar, a esculpir, suporte ao know-how, a relatividade da beleza mas também do objeto de perda, símbolo do tempo que passa, da doença e da morte.

Suportes da memória, relíquias, talismãs, os cabelos conservam para muito a aura e a energia de seu proprietário. Uma grande parte da exposição é consagrada àqueles poderes que dão vida, no mundo inteiro, aos diversos objetos ditos “mágicos” ou dotados de poderes dos quais nos apropriamos.

A questão da arte e do troféu, assim colocada e mais largamente, do status de certos “objetos” acampados nas fronteiras do horripilante e do insustentável, questionando nossa classificação a partir de uma experiência universal.

 

Museu do Quai Branly

Segunda-feira: FECHADO

Terças, quartas e domingos: das 11h às 19h

Quintas, sextas e sábados: das 11h às 21h

 

Mais informações: www.quaibranly.fr

 

 

 

A ver

Calendário

Ponto de interesse