Descoberta temática: os locais inscritos na lista do patrimônio mundial da UNESCO

Published on 16 setembro 2015
  • Versailles

    Versailles

    © christian-MILET-1495

  • Versailles

    Versailles

    © Christian-Milet-9162

Descoberta temática: os locais inscritos na lista do patrimônio mundial da UNESCO

A França conta com 41 locais ou zonas culturais escritos no patrimônio mundial da UNESCO. Segue uma seleção de dez dentre eles para serem descobertos ou redescobertos durante uma visita à França. 

A Grota doPont-d’Arc, conhecida comoGrotteChauvet-Pont-d’Arc, emArdèche

Situada em um planalto calcário atravessado pelo rio Ardèche, no sul da França, a grota contém as mais antigas pinturas conhecidas até hoje (entre 30.000 e 32.000 a.C.). Esta grota, que serve de testemunha da arte pré histórica, foi fechada por um desmoronamento há cerca de 20.000 anos, e permaneceu fechada até 1994, o que permitiu uma excepcional conservação. Mais de 10.000 pinturas, de caráter antropomorfo ou zoomorfo, foram catalogadas em suas paredes.
Por razões de conservação, a grota não será aberta ao público jamais. Enquanto patrimônio mundial da UNESCO, o projeto de restituição foi indispensável. Desde 25 de abril de 2015, a maior réplica de uma grota deste padrão no mundo – a Caverna do Pont d’Arc -, permite que visitantes do mundo inteiro descubram esta obra-prima da humanidade.

O centro histórico de Avignon: o Palácio dos Papas, conjunto episcopal e Ponte de Avignon

Esta cidade no sul da França foi a sede do papado no século XIV. O Palácio dos Papas domina a cidade, com seus baluartes e vestígios de uma ponte do século XII no rio Rhône. Aos pés deste importante exemplo de arquitetura gótica, o Petit Palaise a catedral romana Notre-Dame-des-Doms acabam por formar um excepcional conjunto monumental que indica o papel central desempenhado por Avignon na Europa cristã do século XIV.

O Palácio e Parque de Versalhes

Local de residência da monarquia francesa de Louis XIV à Louis XVI, o castelo de Versalhes, embelezado por sucessivas gerações de arquitetos, escultores e paisagistas, serviu para a Europa de modelo por mais de um século daquilo que deveria ser uma residência real.

O Vale do Loire, entre Sully-sur-Loire e Chalonnes

O Vale do Loire é uma excepcional paisagem cultural que se estende ao longo de um rio, que demonstra a importância das trocas de valores entre os homens e do desenvolvimento harmonioso da interação entre o homem e seu ambiente natural, e isto durante mais de dois milênios. O Vale conserva um patrimônio arquitetural importante nas cidades de Blois, Chinon, Orléans, Saumur e Tours, mas sobretudo conta com o castelos célebres no mundo todo, como o DomaineNational de Chambord ou o Château de Chenonceau. 

OMont Saint-Michel e sua baía

“Maravilha do Ocidente”, o Monte Saint-Michel se encontra em uma ilha rochosa, no centro de uma imensa baía invadida pelas mais altas marés da Europa, no limite entre a Normandia e a Bretanha. A construção desta abadia beneditina de estilo gótico, dedicada ao arcanjo Saint Michel, se estendeu do século XI ao século XVI, adaptando-se a condições naturais muito duras, e se mostrou uma proeza técnica e artística.

 

As fortificações de Vauban


A obra de Vauban inclui 12 grupos de estruturas fortificadas e de construções ao longo das fronteiras do norte, leste e oeste da França. Constituem os melhores exemplos do trabalho da arquitetura militar de Louis XIV.
Esta série inclui especialmente as novas cidades criadas a partir do nada, cidadelas, nos moldes daquela de Besançon, focos urbanos e torres fortificadas. Estes locais servem de testemunho do apogeu da fortificação clássica, típica da arquitetura militar ocidental.

Bordeaux, Port de Lune

O centro histórico de Bordeaux, situado no sudeste da França, representa um conjunto urbano e arquitetural excepcional, criado na época do Iluminismo, cujos valores perduraram até a primeira metade do século XX. Também se reconhece sua importância histórica enquanto centro de trocas de influências durante mais de 2 mil anos, principalmente após o século XII, graças às ligações com a Grã-Bretanha e com os Países Baixos. A organização urbana e os conjuntos arquiteturais a partir do começo do século XVIII fazem da cidade um exemplo das tendências clássicas e neoclássicas, e dão à cidade uma unidade e coerência urbana e arquitetural invejáveis.   

A cidade fortificada histórica de Carcassonne

Desde o período pré-romano, fortificações foram construídas na colina onde se encontra Carcassonne. Em sua forma atual, é um impressionante exemplo de uma cidade medieval fortificada, dotada de um importante sistema defensivo que rodeia o castelo e seus alojamentos, ruas e sua catedral gótica. Carcassonne também deve sua importância aos longos esforços de restauração chefiados por Viollet-le-Duc, um dos fundadores da ciência moderna da conservação.

Le Havre, a cidade reconstruída por Auguste Perret

A cidade do Havre, que toca o Canal da Mancha, na Normandia, foi fortemente bombardeada durante a Segunda Guerra Mundial. A zona destruída foi reconstruída entre 1945 e 1964 de acordo com o plano de uma equipe dirigida por Auguste Perret. O local constitui o centro administrativo, comercial e cultural do Havre. Dentre as várias cidades reconstruídas, Le Havre é especial graças à sua unidade e integridade, que reflete a uma composição interessante que une suas estruturas históricas ainda existentes às novas ideias em matéria de urbanismo e construção tecnológica.

Le Pont du Gard

A ponte do Gard foi construída um pouco antes da era cristã, para permitir que o aqueduto de Nîmes, que se estende por quase 50km, chegasse ao Gardon. Imaginando esta ponte de 50 metros de altura e três níveis, cujo mais longo chega a 275 m, os engenheiros hidráulicos e arquitetos romanos criaram uma obra-prima técnica que é ao mesmo tempo considerada como uma obra de arte.