Descoberta temática: natureza e jardins

Published on 16 setembro 2015
  • Chaumont sur Loire

    Chaumont sur Loire

    © E. SANDER

  • Jardin des Plantes.

    Jardin des Plantes.

    © MNHN – Jérôme Munier

Descoberta temática: natureza e jardins

Apreciadores de jardins, aqui vão algumas ideias de programas durante a sua estadia na França. É a oportunidade de descobrir certos endereços culturais sob uma nova perspectiva, ou simplesmente a ocasião de fazer um passeio agradável...

Villa e Jardins Ephrussi de Rothschild

Côte d’Azur

Dentre as mais belas residências da Côte d’Azur está a Villa Ephrussi de Rothschild, joia arquitetônica herdada de Belle Epoque, que faz alusão às grandes residências do Renascimento italiano. A Villa é cercada por nove jardins magníficos, enfeitados de fontes, colunas, cascatas, canteiros e árvores de perfumes raros: jardim florentino, espanhol, à francesa, exótico, japonês, provincial e por fim, o jardim de Sèvres.

O esplendor de perfumes e a diversidade vegetal deliciam os visitantes. Penetrar neste “Éden” é embarcar em uma viagem ao redor do mundo. Com vista para o Mediterrâneo, os nove jardins da Villa Ephrussi de Rothchild receberam a etiqueta de “Jardim extraordinário” e “Mais belos jardins da França”

www.villa-ephrussi.com

Domaine de Chaumont-sur-Loire e seu Festival Internacional dos Jardins

Vale do Loire

Um mirante sobre o Loire selvagem, oferecendo uma das mais belas vistas do rio real, o Domaine de Chaumont-sur-Loire reúne o castelo (séculos XV – XIX), seus estábulos, seu parque paisagístico e o célebre Festival Internacional dos Jardins.

Desde 1992, o Festival dos jardins constitui um panorama surpreendente do estado da criação paisagística mundial. Em 21 temporadas, cerca de 550 jardins foram criados, como protótipos dos jardins do amanhã. Ao mesmo tempo uma mina de ideias e berçário de talentos, o festival redinamiza a arte dos jardins apresentando novos florescimentos, materiais inovadores, ideais e abordagens originais. O festival se tornou um acontecimento indispensável na apresentação do trabalho de uma nova geração de paisagistas, arquitetos, cenógrafos e jardineiros.

Até o dia 1o de novembro de 2015, o visitantes podem conferir a 24a edição com o tema “Jardins extraordinários, jardins de coleções”.

www.domaine-chaumont.fr

Um jardim mediterrâneo no MuCEM

Marseille, Provence

Na entrada do velho porto de Marselha, o forte Saint-Jean é uma das jóias do patrimônio histórico da cidade. Ele oferece ainda um passeio paisagístico original, no seio de um jardim mediterrâneo de 12.000 m2, que revela a posição impressionante do forte Saint-Jean em sua relação com Marseille e seus horizontes.

Esta valorização do patrimônio arquitetônico, arqueológico e natural do local se inscreve em um esforço de desenvolvimento sustentável e de responsabilidade ambiental. O “Jardim das migrações” se aproveita das irregularidades do terreno e da história do local. Em uma homenagem aos visitantes de todos os horizontes que ali desembarcaram anteriormente, quinze quadros foram preparados para evocar a mistura de culturas, homens e plantas em volta do Mediterrâneo. O jardim foi concebido como um livro que está sempre aberto, e desvenda aos sentidos a transição das estações.   

Oliveiras, figueiras e vinhedos deliciam os visitantes enquanto percorrem as trilhas destes jardins suspensos sobre o mar Mediterrâneo.

www.mucem.org

Jardins do MuseuLalique

Alsácia, leste da França

O museu Lalique, situado no coração do parque natural dos Vosges do norte, está aninhado em um refúgio verde. Aliando a arquitetura tradicional à moderna, faz alusão permanente à natureza que René Lalique tanto representou em suas obras. As plantas que enfeitam os jardins não estão ali por acaso: camélias, heras, pinhos, rosas ou ainda dálias... Com o passar das estações, são novas fontes de inspiração que se apresentam.

Um percurso de interpretação também foi preparado nos jardins para tornar possível a compreensão da história do local que serviu um dia para a produção de vidro – Hochberg, onde hoje se situa o museu Lalique. Faz a ligação com os recursos naturais – a floresta, a areia, a água, as plantas – que permitiram a instalação de vidreiros nos Vosges do norte. Esta tradição vidreira, que remonta à Idade Média, estimulou René Lalique a se instalar em 1921 nesta pequena cidade da Alsácia.

www.musee-lalique.com

O Jardin des plantes

Paris

O Jardim das plantas, e seus 11 jardins temáticos, é o único jardim botânico da capital.

As prestigiosas instalações do jardim são testemunhas de sua longa história. Podemos descobrir a Grande Galeria da Evolução, com 7.000 amostras de animais mais verosímeis que a própria natureza...; A Galeria da Mineralogia, que apresenta cerca de vinte cristais gigantes, ou ainda as Grandes Serras, que ilustram uma flora de uma vitalidade fabulosa. Por fim, inserido em um refúgio verde de paz, a Ménagerie, o zoológico do Jardindes Plantes, conta com cerca de 200 espécies. Este zoológico, um dos mais antigos do mundo, soube evoluir criando cercados adaptados à cada espécie, sempre conservando seus edifícios protegidos, construídos há mais de dois séculos.

www.jardindesplantes.net

Parque Paisagístico do Castelo de Beauregard

Vale do Loire

O Château de Beauregard,está inserido em um “paraíso verde” único: um parque paisagístico de 40 hectares e um “Jardim de Retratos”, obra do célebre paisagista parisiense Gilles Clément, que combina o “jardim à francesa” à tradição inglesa, e ilustra sua filosofia do “Jardim em movimento”, que preconiza o respeito à natureza. Este jardim, constituído de 12 canteiros compartimentalizados, está associado aos personagens ou eventos contados pela galeria de retratos, como em um jogo de cores.

www.beauregard-loire.com