Comemorações do Centenário da Primeira Guerra Mundial

Published on 26 junho 2015
  • CG 80

    CG 80

    © CG 80

  • Croquis

    Croquis

    © Gilles Clément et Guillaume Morlans

Comemorações do Centenário da Primeira Guerra Mundial 80201 Péronne fr

De agosto de 1914 a novembro de 1918, a França foi palco da guerra mais violenta e mortífera da história até então.

Já nas primeiras semanas, a brutalidade das batalhas obrigou as tropas em conflito a cessar a guerra de manobra. Das planícies do norte até os vales de Champagne, nas florestas e montanhas, os homens entraram em trincheiras. Além das ofensivas letais, os dois campos travavam uma guerra de desgaste. Separados apenas por algumas centenas de metros, bombardeios, explosões de minas e o desgaste da espera fizeram parte do cotidiano dos soldados. As armas mais modernas e potentes da época, como tanques de combate e gases, levaram à morte milhões de homens dos cinco continentes, que ficaram marcados no solo francês e na memória da humanidade, mas também alimentaram a esperança de paz internacional.

As marcas da Primeira Guerra ainda estão visíveis, do Nord-Pas de Calais até a Alsácia, passando pela Picardia, pela  Champagne-Ardenne e pela Lorraine. Para segui-las, ande pelas redes de trincheiras, pelos buracos de granadas da floresta de Vosges ou pelas pedreiras e galerias subterrâneas da Aisne e da Oise, recolha-se nas grandes necrópoles e memoriais de Artois, descubra o Historial de Péronne no Somme, as crateras deixadas pelas minas em Boisselle ou Vauquois no Meuse e visite o forte de la Pompelle em Reims ou o de Leveau em Maubeuge.

A ver